Kayque Juliano
Do Mais Goiás

Servidores da Saúde paralisam atividades para cobrar progressões atrasadas desde janeiro

Em Aparecida de Goiânia, progressão dos trabalhadores não foi cumprida. A categoria se reúne em frente ao Centro de Assistência Integral à saúde (Cais) Nova Era

Cerca de 300 Servidores da Saúde de Aparecida de Goiânia paralisaram as atividades na manhã desta segunda-feira (11), em razão ao não cumprimento da lei 085/2014, que trata do plano de cargos e carreiras. De acordo com o Sindicato dos Trabalhadores do Sistema Único de Saúde do Estado de Goiás (Sindisaúde-GO), a progressão dos trabalhadores, que era para ser cumprida é  de 2% a cada dois anos, está atrasada desde janeiro deste ano. A categoria se reúne em frente ao Centro de Assistência Integral à saúde (Cais) Nova Era desde às 8 horas.

No momento, apenas os serviços de urgência e emergência estão sendo realizados. Com a paralisação, as consultas e os serviços ambulatoriais foram suspensos. Segundo  o Sindisaúde-GO, o acordo entre a categoria e a prefeitura, realizado em setembro do ano passado, não foi cumprido.

Além das progressões, a presidente do Sindisaúde, Flaviana Alves Barbosa, conta que os servidores não têm recebido os valores adicionais referentes à insalubridade, que é um direito dos agentes comunitários da saúde de Aparecida de Goiânia, segundo lei federal de 2016.

Em nota, a Secretaria Municipal de Saúde informa que tem cumprido o Plano de Carreira conforme os limites autorizados pela Lei de Responsabilidade Fiscal e que o valor da data-base 2018 está em conformidade legal. Todos os pedidos de gratificação estão sendo analisados. A progressão também tem sido estudada. Segundo a Secretaria, o pagamento de vale-alimentação e vale-transporte de todas as categorias de servidores estão de acordo com a legislação municipal.

Segue a nota na íntegra:

Diante da decisão de paralisação de parte dos servidores de saúde de Aparecida, a Prefeitura informa que continua dialogando com o Sindsaúde e espera resolver conjuntamente todos os apontamentos da categoria, da melhor forma possível, sem prejuízos à população. 

 Os serviços de urgência e emergência e atendimentos médicos continuam regulares. Apenas parte dos serviços ambulatoriais prestados nas unidades 24 horas estão comprometidos, tais como o curativo, a vacinação e o atendimento de enfermagem do Cais Nova Era e o curativo, a vacinação e os testes do pezinho e mamãe no Cais Colina. No Centro de Saúde Papillon Park, apenas a vacinação está comprometida e no Centro de Atendimento Ambulatorial a vacinação e o teste do pezinho estão suspensos. As outras unidades de atendimento especializado estão funcionando normalmente.

Das 36 Unidades Básicas de Saúde do município, até o momento, apenas os serviços de enfermagem das UBS Santa Luzia, Parque Trindade, Jardim Olímpico e Alto Paraíso estão comprometidos, além da paralisação de agentes de saúde comunitário e de endemias. 
 
Sobre as reivindicações, esclarece que tem cumprido o Plano de Carreira conforme os limites autorizados pela Lei de Responsabilidade Fiscal e que o valor da data-base 2018 está em conformidade legal. Todos os pedidos de gratificação estão sendo analisados. A progressão também tem sido estudada. A questão do pagamento de vale-alimentação e vale-transporte a todas as categorias de servidores está de acordo com a legislação municipal.