Irresponsabilidade

Servidor municipal é preso suspeito de assediar e mostrar vídeos pornográficos a alunos, em Goiânia

Estudantes relataram o caso à diretora e aos pais, que chamaram a Guarda Civil Metropolitana. Celular do suspeito continha fotos e vídeos das crianças enquanto dormiam, além de conteúdo adulto


Joao Paulo Alexandre
Do Mais Goiás | Em: 27/03/2019 às 17:36:32

Servidor foi ouvido e liberado. Caso será investigado para a DPCA (Foto: Divulgação/GCM)
Servidor foi ouvido e liberado. Caso será investigado para a DPCA (Foto: Divulgação/GCM)

Um servidor municipal foi detido, na manhã desta quarta-feira (27), suspeito de assediar alunos e mostrar conteúdos pornográficos a eles. O caso foi no Setor Crimeia Oeste, após a diretora da unidade de ensino integral ter conhecimento do caso e acionar a Guarda Civil Metropolitana (GCM).

Segundo o comandante Júlio Simões, os alunos, do 6º ano do ensino fundamental relataram aos pais que o servidor teria mostrado vídeos pornográficos e até mesmo o órgão genital para os estudantes. “As crianças alegaram à diretora que, quando dormiam, acordavam assustados com o professor passando a mão no rosto, cabelo, barriga até pegar no órgãos genitais dos meninos”, destaca.

Após as denúncias, o homem, de 31 anos, foi levado para a Central de Flagrantes. No celular do suspeito, foram encontradas imagens das crianças enquanto dormiam, vídeos pornográficos e fotos nuas do suspeito. O servidor nega todas acusações. “Ele negou durante todo momento e alegou que as crianças tinham a imaginação fértil que estavam fazendo isso com o intuito de prejudicá-lo”, conta o GCM.

O servidor é concursado e há menos de um ano que presta serviços para a Prefeitura. Segundo o comandante, ele passou por outras duas instituições de ensino e justificou que não se adaptou nas outras escolas. Não consta registro com o mesmo teor de denúncia nas antigas unidades.

O homem foi liberado, mas o caso foi encaminhado para a Delegacia de Proteção à Criança e ao Adolescente (DPCA), que investigará a possível prática de estupro de vulnerável. Segundo a Polícia Civil (PC), a diretora já tinha solicitado uma medida, junto à Secretaria Municipal da Educação, que proibia qualquer contato físico com as crianças, mas que foi desobedecida pelo homem.

Por meio de nota, a Secretaria Municipal de Educação (SME) destacou que o servidor foi afastado das funções e que não voltará até a conclusão das investigações. A Secretaria também pontuou que uma sindicância foi aberta para apurar os fatos.

LEIA  a nota da Secretaria Municipal de Educação sobre o servidor acusado de assediar alunos:

Secretaria Municipal de Educação e Esporte (SME) informa que a situação do servidor em questão encontra-se sob apuração das autoridades policiais e o mesmo já foi afastado de suas funções. A SME trabalha em ações que coíbam qualquer ato desta natureza e esclarece, ainda, que tramita processo de sindicância para apurar os fatos e tomar as medidas legais cabíveis. A SME reforça que o servidor não retornará ao convívio com crianças até a conclusão das investigações.