TJGO

Servente de pedreiro confessa ter matado enteada de um ano com soco na barriga, em Goiânia

Ele afirmou que não sabe porque agiu dessa forma a não ser por “bobeira”. Mãe também responde pela morte da menina




O servente de pedreiro Alex Lima Soares, o Dito, de 34 anos, confessou nesta quinta-feira (22), ao juiz da 1ª Vara Criminal da comarca de Goiânia, Jesseir Coelho de Alcântara, ter matado a enteada Nicole de Jesus, de 1 ano e 9 meses de idade, em janeiro de 2016. Ele contou na audiência de instrução criminal preliminar que agrediu a vítima com um soco na barriga e afirmou que não sabe porque agiu dessa forma a não ser por “bobeira”.

Também ouvida, a mãe da criança, a auxiliar de cozinha Rosângela Pereira de Jesus, de 22, negou ter sido omissa na criação da filha. Ela disse que não tinha conhecimento de que o seu companheiro agredia a criança porque era informada por ele, quando via algum sinal de machucado em seu corpo, de que ela tinha caído. Também foram ouvidas três testemunhas arroladas em comum pela acusação e pela defesa.

Após os depoimentos, que duraram cerca de três horas, o juiz Jesseir Coelho de Alcântara abriu prazo para que o Ministério Público do Estado de Goiás (MPGO) e os defensores apresentem suas alegações finais por memoriais escritos e, após a apresentação, decidirá se Alex Soares irá ou não à júri popular. O magistrado também aguarda manifestação do MPGO sobre a possibilidade de proposta de suspensão condicional do processo em relação à Rosângela de Jesus, uma vez que ela é acusada de omissão nas torturas sofridas pela filha, cuja pena é de detenção de 1 a 4 anos.

Conforme denúncia do Ministério Público de Goiás (MPGO), a criança foi morta por espancamento por volta das 21h do dia 23 de janeiro deste ano, na Vila Redenção, em Goiânia. Como de costume, Rosângela teria saído de casa para trabalhar e deixou a filha com o padrasto na casa em que moravam. Quando voltou, na madrugada do dia 23, notou que o corpo da filha estava gelado e pediu socorro aos vizinhos, que acionaram o Corpo de Bombeiros.

De acordo com laudos da Polícia Civil, Nicole morreu em decorrência de um forte trauma abdominal. Durante depoimento, Alex confessou que deu um soco e uma cotovelada na barriga da criança.

A ação atesta ainda que nos oito meses anteriores à morte da menina, ela já vinha sendo vítima de socos, cotoveladas e tapas desferidos pelo padrasto. Em uma ocasião ela chegou a ter a perna quebrada como forma de castigo. A mãe também foi denunciada pois ela seria conivente com os atos de violência, recusando-se, inclusive, a levar a criança para receber atendimento médico.

O casal convivia maritalmente e já tem uma bebê que, atualmente, está com parentes de Rosângela de Jesus, na Bahia. Alex Soares está preso e ela, solta, depois de um tempo de detenção. A audiência foi acompanhada pelos advogados Douglas Dalto Messora (padrasto) e Paulo Gonçalves (mãe). Pelo MPGO atuou o promotor de Justiça Rodrigo Félix Bueno. 

Tópicos