Do Mais Goiás

Cientista político diz que pior caminho para Daniel é ser vice de Caiado

"Estaria subordinado a Caiado. E, no futuro, teria que responder pela gestão", observa

Caiado visita diretório do MDB e dá mais passo para confirmar aliança
Caiado visita diretório do MDB e dá mais passo para confirmar aliança (Foto: Divulgação)

Na opinião do doutor em ciências políticas pela Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG) e professor da UFG, Robert Bonifácio, o pior caminho para o presidente do MDB Goiás Daniel Vilela, em 2022, é tentar ser vice do governador Ronaldo Caiado (DEM). Vale lembrar, 27 dos 28 prefeitos emedebistas de Goiás se manifestaram por uma aliança com o atual gestor do Estado e muito se especula que Daniel possa ocupar a vice.

Contudo, para o cientista político, esse não é o único caminho em uma aliança. De fato, Robert afirma que esta opção colocaria Daniel sem autonomia. “Estaria subordinado a Caiado. E, no futuro, teria que responder pela gestão – por acertos, mas também por erros.”

Para Robert, o melhor caminho para Daniel é o Senado. Ele acredita que o presidente da sigla tem mais chances de se cacifar na chapa caiadista para o posto, uma vez que outros nomes, como o senador Luiz do Carmo (MDB), que busca a reeleição, é menos conhecido. Questionado sobre Henrique Meirelles (PSD), que quer o cargo e tem o aval de Vanderlan Cardoso (PSD), Robert o vê como uma opção, mas por ser um “goiano turista”, talvez não seja tão viável.

“O que vai definir é o acordo com Caiado.” De acordo com o professor, Daniel, como Senador, teria mais liberdade, além de um mandato de oito anos, podendo concorrer a prefeito de Goiânia ou sendo sucessor de Caiado. O cenário, contudo, ainda segue no campo das articulações.