Sem plano B: Lincoln busca apenas manutenção da vice com Caiado

Aproximação do MDB pode incomodar aliados antigos do governador

Após
Após "perder" a vice de Caiado, Lincoln posta sobre "ética e honra" (Foto: Reprodução - Facebook)

Segundo interlocutores, Lincoln Tejota (Cidadania) não tem plano B para 2022. Ele pretende garantir a manutenção da vice do governador Ronaldo Caiado (DEM).

Contudo, apesar de já ter dito ainda não haver discussões sobre a chapa majoritária, Lincoln declarou que nunca deixou de disputar um mandato. “Tenho uma história política tradicional em Goiás”, declarou ainda no primeiro semestre, ao Mais Goiás.

Mais recentemente, ele também afirmou ao portal que não há trunfos ou obstáculos para a manutenção do cargo. “Existe o meu trabalho à frente da vice-governadoria e no comando do Cidadania em Goiás. Desde que assumi o partido, ele só cresceu em número de prefeitos e filiados, e isso é fruto de trabalho e de adesão das lideranças ao projeto”, enaltece.

O Cidadania, partido do qual Lincoln é presidente estadual, também tem articulado para manter a posição, enquanto outras siglas também se movimentam.

De olho na vice

Destaca-se, aliados do governador, como o deputado estadual Francisco Oliveira (PSDB) – que deve migrar de partido na janela partidária – tentam emplacar Daniel Vilela, presidente do MDB na vice. Também no páreo, estaria o presidente da Assembleia Legislativa de Goiás (Alego), Lissauer Vieira (PSB).

Nada está certo, contudo. No caso do MDB, aproximação irrita alguns aliados mais antigos de Caiado.

Os emedebistas dissidentes de 2018, por exemplo – Adib Elias e Ernesto Roller. O próprio Lissauer não estaria satisfeito.

Outro nome de peso que pode se afastar do governador é o senador Vanderlan Cardoso (PSD), que luta para o PSD se alinhar a Caiado no ano que vem e emplacar Henrique Meirelles ao Senado.