Vôlei

Seleção masculina de vôlei vira sobre a Bulgária e se classifica à Olimpíada

No qualificatório, a seleção brasileira havia encarado e superado o Egito e Porto Rico nos dois dias anteriores, ambos por 3 a 0, e agora também triunfou, para obter a vaga em Tóquio-2020.


Estadao Conteúdo
Estadao Conteúdo
Do Estadao Conteúdo | Em: 11/08/2019 às 20:23:04

(Foto: Divulgação/FIVB)
(Foto: Divulgação/FIVB)

A seleção brasileira masculina de vôlei vai defender o título conquistado no Rio-2016 nos Jogos de Tóquio. Neste domingo, com uma virada espetacular, a equipe assegurou a classificação ao evento do próximo ano no Japão ao derrotar a Bulgária por 3 sets a 2, com parciais de 23/25, 19/25, 32/30, 25/16 e 15/11, em Varna, na casa da equipe rival.

No qualificatório, a seleção brasileira havia encarado e superado o Egito e Porto Rico nos dois dias anteriores, ambos por 3 a 0, e agora também triunfou, para obter a vaga em Tóquio-2020.

Leal, com 22 pontos, e Wallace, com 20, lideram o Brasil. Renan Dal Zotto escalou a seleção com Bruninho, Thales, Wallace, Mauricio Borges, Leal, Lucão e Flávio. Os líberos Thales e Maique também foram usados, assim como Lucarelli, Alan, Isac e Cachopa.

O Brasil errou muito o saque quando o forçava no primeiro set. A Bulgária se destacou no bloqueio, principalmente com Gotsev, que soube entusiasmar os cerca de seis mil torcedores no ginásio lotado. No ataque, Sokolov levou vantagem sobre a defesa brasileira.

O set ficou equilibrado até 5 a 5. A partir daí, os búlgaros passaram a liderar o placar e chagaram a abrir 17 a 11. No fim, o Brasil reagiu quando o adversário oscilou e chegou a encostar (23 a 24). Mas um novo bloqueio de Gotsev sobre Leal definiu o triunfo búlgaro: 25 a 23

O segundo set começou com um lance dramático. Skirimov caiu de mau jeito, torceu o pé e sai de quadra carregado, com muitas dores. O bloqueio do Brasil não existiu, ao não achar em nenhum lance o ataque búlgaro. O adversário, ao contrário, somou cinco bloqueios. Leal teve boa participação no ataque, mas Wallace não apresentou a mesma produção. Resultado: vitória da Bulgária por 25 a 19.

O Brasil começou mal também o terceiro set e rapidamente a Bulgária já tinha 7 a 3 no placar. Mas bastou o Brasil ajustar um pouco o saque para os pontos começarem a sair com Wallace e Leal. E foi no serviço de Wallace que o Brasil chegou ao empate 12 a 12.

Dois erros na recepção brasileira desequilibraram de novo o jogo Foi preciso mais força de Leal para buscar o placar mais uma vez em 16 a 16 e 21 a 20. O ponto seguinte foi sensacional. Os búlgaros defenderam uma bola em que todo o banco de reservas precisou se afastar, ainda teve toque com o pé e Sokolov completou: 21 a 21.

O final do set foi emocionante. Um ponto de Wallace precisou do desafio e deixou o Brasil com 23 a 21 no placar. A Bulgária reagiu de novo, com direito a ace: 23 a 23. O set point para o Brasil veio no bloqueio de Bruninho. Sokolov voltou a empatar, após linda jogada de Alan com o pé. As duas seleções tiveram chances para fechar a parcial, mas perderam vários contra-ataques. Um erro de ataque búlgaro garantiu a vitória brasileira por 32 a 30.

Após se safar da derrota, a seleção dominou o quarto set. Com muito volume de jogo e boas atuações de Leal e Lucarelli, liderou o placar desde o início e fechou a parcial em 25 a 16, após um potente ataque de Maurício Souza, forçando a realização do tie-break.

No set decisivo, as equipes foram oscilando na liderança do placar, até o Brasil deslanchar e fazer 9/6 em uma ação de Bruninho. E assegurou o triunfo por 15/11 após a arbitragem usar o vídeo para confirmar que o ataque de Penchev foi para fora.