Denúncia

Seis pessoas são denunciadas por latrocínio contra motorista de aplicativo, em Goiânia

Carlos Augusto dos Santos Lopes, de 25 anos, foi morto com dois tiros após aceitar uma corrida com dois suspeitos do crime

Cidades

Da Redação
Do Mais Goiás | Em: 06/11/2019 às 15:33:12

Seis pessoas são denunciadas por latrocínio contra motorista de aplicativo, em Goiânia (Foto: Divulgação/PM)
Seis pessoas são denunciadas por latrocínio contra motorista de aplicativo, em Goiânia (Foto: Divulgação/PM)

Seis pessoas foram denunciadas pelo Ministério Público de Goiás (MP-GO) pelo envolvimento no latrocínio do motorista de aplicativo e estudante de Direito Carlos Augusto dos Santos Lopes, de 25 anos. A vítima foi morta a tiros no último dia 13 de outubro, no Setor Recreio dos Bandeirantes, em Goiânia.

Uma cópia da denúncia, assinada pelo promotor de Justiça Publius Lentulus Alves da Rocha, foi encaminhada ao Juizado da Infância e da Juventude. Isso para que haja instauração de ação socioeducativa contra uma adolescente. Nesse caso, ela responderá por ato infracional análogo a crime de favorecimento pessoal.

Foram denunciados Carlos Duarte da Silva, de 19 anos, Izabela Oliveira Adelardo, 19, e Ricardo Duarte da Silva,de 25, pelos crimes de latrocínio e corrupção de menores. E Clístenes Souza Freire, de 26 anos, Johnathan Gomes de Morais, de 28, e Marcos Aurélio Lopes Martins, sem idade divulgada, por favorecimento pessoas e corrupção de menores.

O promotor solicitou que a Polícia Civil (PC) forneça endereços e qualificações corretas dos envolvidos e laudos de pesquisa de impressões digitais no veículo da vítima. Além disso, também requereu o laudo de confronto balístico da arma apreendida e do projétil que foi retirado do corpo da vítima.

Segundo a denúncia, Ricardo organizou o roubo. Ele teve a ajuda do irmão, Carlos Duarte, e da namorada, Izabella. O plano era que os dois fossem até um shopping center da Região Noroeste para roubar o carro de um motorista de aplicativo. Ao chegarem no local, eles solicitaram a viagem e a vítima aceitou.

O destino da corrida foi o Setor Recreio dos Bandeirantes. Quando passavam pela Rua FP-17, Izabela retirou o revólver de dentro da bolsa e entregou para Carlos Duarte. Ele, por sua vez, apontou-o para o motorista e anunciou o assalto. A vítima se assustou e colocou a mão na arma. Nesse momento, foi atingida por dois disparos. Quando o veículo parou, ambos fugiram. A jovem foi para a casa da avó, onde escondeu a arma do crime.

Ricardo aguardava o desfecho na casa de Marcos Aurélio. Ele teria oferecido o imóvel a Carlos Duarte para que não fosse encontrado pela Polícia Militar (PM). Uma adolescente chamou Clístenes Freire e pediu que buscasse Ricardo na casa de Marcos Aurélio. O objetivo era levá-lo à casa de Izabela para que fosse dado um sumiço definitivo na arma utilizada no crime. Entretanto, essa tarefa acabou sendo passada a Johnathan de Morais.

A PM conseguiu informações sobre a arma e os demais envolvidos no crime quando prendeu Izabela e todos foram presos.

*Com informações do MP-GO