Cidades

Secretário é indiciado pela morte de motociclista que caiu em buraco, em Anápolis

Polícia Civil entendeu que a causa do acidente foi o buraco na via. Secretário pode responder por homicídio culposo, omissão e negligência devido às más condições da rua


Jessica Santos
Do Mais Goiás | Em: 11/07/2019 às 15:22:21

Thalyta dos Santos Bueno, de 20 anos, estava em uma moto e caiu em um buraco na pista (Foto: Reprodução | Redes sociais)
Thalyta dos Santos Bueno, de 20 anos, estava em uma moto e caiu em um buraco na pista (Foto: Reprodução | Redes sociais)

O secretário de Obras de Anápolis, Francisco Elísio Lacerda, foi indiciado pela morte da professora Thalyta dos Santos Bueno, de 20 anos, que aconteceu no dia 15 de abril deste ano. A vítima pilotava uma moto na Av. Santos Dumont quando caiu em um buraco coberto de água e foi atropelada por um carro.Lacerda pode responder por homicídio culposo, quando não há intenção de matar, além de omissão e negligência devido às más condições da via.

O delegado Manoel Vanderic, responsável pelas investigações, explica que a Polícia Civil (PC) entendeu que houve negligência já que o asfalto da rua não passava por manutenção há pelo menos quatro meses. Ele ainda explica que a motorista que atropelou a jovem não foi responsabilizada. Os laudos periciais apontaram o buraco como o causador do acidente, que teve como consequência a morte da professora.

De acordo com o laudo da perícia, o buraco em que Thalyta caiu possuía mais de um metro de comprimento. A professora chegou a ser socorrida por equipes do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (SAMU). Mas morreu horas depois de dar entrada no Hospital de Urgências de Anápolis (Huana),

A motorista do carro ficou no local e prestou socorro. À  época, a mulher afirmou que não viu a professora caída e só percebeu o acidente pois escutou um barulho e sentiu um tremor no veículo. Ela foi submetida ao teste do bafômetro e o resultado foi negativo para embriaguez.

Por meio de nota, a Prefeitura de Anápolis informou que o município e o secretário ainda não foram notificados pela Justiça sobre o caso. Ainda segundo o texto, o local onde do acidente passou por manutenção pela Secretaria de Obras.