Do Mais Goiás

Secretaria de Saúde promove ação de combate ao Aedes nesta sexta, em Goiânia

Durante o dia, cerca de 350 agentes estarão nas ruas para realizar a coleta de possíveis criadouros do mosquito

A Secretaria Municipal de Saúde (SMS) de Goiânia promove nesta sexta-feira (25) o Dia Nacional de Mobilização contra o Aedes aegypti. As ações tiveram início na Avenida Areião, esquina com Edmundo Pinheiro de Abreu, às 8 horas. Durante o dia, cerca de 350 agentes estarão nas ruas para realizar a coleta de possíveis criadouros do mosquito. Nos setores Pedro Ludovico e Bela Vista, aproximadamente 12.610 imóveis serão visitados.

Além da operação Cata Pneus e outras mobilizações prévias, a SMS vai realizar ações em conjunto com as imobiliárias, que disponibilizarão as chaves dos imóveis fechados, para que os agentes possam inspecionar, fazer atendimento de denúncias, serviços de laboratório móvel para identificação rápida de larvas de Aedes, entre outras.

Esse dia de mobilização foi criado pelo Ministério da Saúde e tem como objetivo retirar estes materiais do ambiente e realizar a destinação adequada, assim como chamar a atenção da sociedade para a importância de se combater esse mosquito.

Com o início do período chuvoso, a quantidade de criadouros disponíveis aumenta consideravelmente e com isso aumenta também o número de doentes. As ações contínuas são importantes para evitar a ocorrência de uma tríplice epidemia (Dengue, Zika e Chikungunya).

A superintendente de Vigilância em Saúde da SMS, Flúvia Amorim, destaca que “as sextas-feiras serão o dia da faxina, dia da população inspecionar suas casas, locais de trabalho e contribuir para eliminar todos os criadouros do mosquito”.

Segundo o Levantamento Rápido do Índice de Infestação do Aedes aegypti (LIRAa), realizado pela SMS em outubro,o índice em Goiânia se mantém satisfatório (0,95%). Apesar disso, houve um aumento no número de casas com focos do mosquito na capital e os valores de 1% a 3,9% correspondem a cenários de médio risco e exigem um estado de alerta em relação a infestação, explica Flúvia Amorim. Os números superiores a 3,9% indicam alto risco. O LIRAa também mostra que a maioria dos criadouros do Aedes em Goiânia estão dentro dos domicílios.