Cuidados

Secretaria de Saúde orienta sobre cuidados contra o Aedes aegypti

É importante colocar areia em aparadores de vasos de plantas; manter ralos e vasos sanitários fechados; calhas e grelas sempre limpas


Da Redação
Do Mais Goiás | Em: 14/10/2019 às 18:03:18

Secretaria de Saúde orienta sobre cuidados contra o Aedes aegypti. (Foto: Divulgação/SES-GO)
Secretaria de Saúde orienta sobre cuidados contra o Aedes aegypti. (Foto: Divulgação/SES-GO)

Com o início das chuvas, vem também o maior risco de proliferação de criadouros do mosquito Aedes aegypti. Por isso, a Secretaria Estadual de Saúde (SES) de Goiás orienta a população para os cuidados contra o transmissor de doenças como dengue, zika e chikungunya.

O coordenador de Vigilância e Controle Ambiental de Vetores da SES-GO, Marcello Rosa, alerta para que as pessoas mantenham uma vigilância no mínimo semanal nos imóveis. Desta forma, segundo ele, é possível identificar e eliminar possíveis locais que possam acumular água.

“Além dessa vigilância no dia a dia, é interessante associar com comportamentos adequados de descartar o lixo para o recolhimento por parte das prefeituras; manter caixas d’água, cisternas e fossas vedadas para evitar a entrada de insetos; lavar bebedouros de animais com água, sabão e escova”, ressalta o coordenador. Também é importante colocar areia em aparadores de vasos de plantas; manter ralos e vasos sanitários fechados; calhas e grelas sempre limpas. Quanto às piscinas: “devem ter um tratamento adequado e quando em desuso vedadas ou vazias”, aconselha Rosa.

De acordo com a SES, o mosquito Aedes se prolifera em qualquer época. No entanto, o que ocorre no período chuvoso é um “aumento radical” da infestação. A pasta considera o lixo descartado inadequadamente em lotes baldios, praças, logradouros ou até mesmo nos quintais, como fator determinante para o aumento do mosquito. “Com as chuvas, esses recipientes acumulam água, logo em seguida os ovos eclodem e proporciona o desenvolvimento das larvas, que em menos de 10 dias se tornam mosquitos adultos”, informa o órgão.

Nesse contexto, Marcello pontua cuidados básicos para evitar a proliferação do mosquito: descartar o lixo para coleta adequada pelas prefeituras; evitar o acúmulo de água em latas, embalagens, copos plásticos, tampas de refrigerante, pneus velhos e garrafas.