Cidades

Secretária de Saúde de Goiânia diz que vai aumentar atendimentos de urgência pediátrica na rede

Fátima Mrué divulgou novo plano de ação da pasta e explicou que novos profissionais serão contratados até o fim do ano


Joao Paulo Alexandre

Do Mais Goiás | Em: 04/10/2018 às 13:37:56


Fátima Mrué destaca autonomia de atuação da cooperativa nas contratações dos profissionais (Foto: João Paulo Alexandre/ Mais Goiás)
Fátima Mrué destaca autonomia de atuação da cooperativa nas contratações dos profissionais (Foto: João Paulo Alexandre/ Mais Goiás)

Com o objetivo da acabar com o déficit de pediatras na rede municipal de Saúde de Goiânia, a secretária da pasta, Fátima Mrué, apresentou à imprensa, na manhã desta quarta-feira (4), um plano para a ampliação de atendimentos de urgência para as crianças na capital. Para isso, novos profissionais deverão ser contratados por meio de edital de chamamento junto às cooperativas de médicos.

Mrué justifica que o atendimento pediátrico de urgência acontece apenas no Cais de Campinas, na região Central da cidade, e conta com o revezamento de 22 profissionais. Já na Unidade de Pronto Atendimento (UPA) Itaipu, localizada na região Sudoeste de Goiânia, trabalham apenas dois profissionais. “A intenção é dar assistência devida na urgência pediátrica, que é um grande problema na região atualmente. A proposta é que, nos sete distritos sanitários, tenham profissionais as  24 horas do dia”, destaca.

A secretária explica que o edital de chamamento de novos profissionais será publicado na próxima semana. Uma das exigências para a convocação da empresa é que uma unidade de saúde 24 horas de cada distrito tenha dois pediatras em cada turno. Segundo Mrué, até o final do ano, os profissionais estarão em atuação nesses lugares. Veja a lista com os distritos e onde os pediatras serão alocados. 

DISTRITOUNIDADE 24 HORAS
NoroesteUPA Noroeste
OesteCais Bairro Goiá
SudoesteUPA Itaipú
LesteCais Novo Mundo
Campinas-CentroCais Campinas
NorteCais Guanabara
SulUPA Jardim América

Outro fator também que pesou para as novas contrações é pelo fato que antes os atendimentos eram realizados por clínicos gerais, pois nem toda unidade contava com um pediatra plantonista. “Em 2016 e 2017 houve a redução de 26% nos atendimentos de clínicos a criança. Já neste ano o objetivo é reduzir a 76% de atendimentos realizados por clínicos, em relação a 2016”, pontua.

Sobre o número de novas contratações, a secretária ressalta que as vagas podem variar já que a cooperativa tem a autonomia de definir a carga horária de cada profissional. “Isso pode chegar a contratação de até 156 novos pediatras, se levarmos em consideração a carga horária de 20 horas semanais. A mesma também deverá manter a qualidade do atendimento e realizar qualquer substituição do profissional por uma eventual falta ou outro evento. O edital de chamamento de cooperativa é mais rápido e os contratados se juntarão com os 44 que atendem em ambulatório. Isso visa ampliar o atendimento de urgência para mais regiões”, destaca.

A secretária também destacou que haverá um concurso para a contratação de médicos também de outras especialidades. Porém, devido aos trâmites legais para a realização do certame, esses profissionais só deverão começar atuar em 2020. “Há uma previsão que o edital seja lançado em dezembro e contemplará outras especialidades, além dos pediatras. O concurso já virá com o número de profissionais suficientes para atender as unidades de urgências e as novas que abrirão, como a Maternidade Oeste e a UPA do Jardim América”, conta.

Centralização

A centralização do atendimento de urgência se deu nas duas unidades – UPA Itaipu e Campinas -, segundo a secretária, pelo fato de que esses locais apresentaram melhor estrutura física para a realização de atendimentos dessa natureza. “Houve a redução de atendimentos no Hospital Materno Infantil, que é a considerado o principal ponto de urgência infantil em Goiânia. Para se ter uma ideia, houve uma diminuição de 46% entre 2011 e 2012. Agora, entre o ano passado e este ano houve um nova redução de 54% nos atendimentos, segundo o Ministério da Saúde”, ressalta.

*João Paulo Alexandre é integrante do programa de estágio do convênio entre Ciee e Mais Goiás, sob orientação de Thaís Lobo.