Santa Casa de Misericórdia vai à Alego em busca de ajuda financeira

Superintendentes do hospital se reuniram com Lissauer Vieira (PSB) na tarde desta quinta (7) em busca de uma emenda parlamentar coletiva


Artur Dias
Do Mais Goiás | Em: 08/11/2019 às 19:00:10

(Foto: Divulgação / Santa Casa de Misericórdia de Goiânia)
(Foto: Divulgação / Santa Casa de Misericórdia de Goiânia)

Superintendentes da Santa Casa de Misericórdia se reuniram, na tarde desta quinta-feira (7) com presidente da Assembleia Legislativa de Goiás (Alego), Lissauer Vieira (PSB). O objetivo do encontro foi solicitar ao parlamentar a criação de uma emenda parlamentar coletiva para suprir necessidades financeiras do hospital.

Participaram do encontro os superintendes geral, técnico e administrativo da Santa Casa de Goiânia, Irani Ribeiro, Pedro Ivandosvick e Irondes José de Morais, além do presidente da Casa. Irani ressaltou que a ajuda da Alego é muito importante para que o hospital se mantenha funcionando.

“Neste momento nós estamos precisando muito de ajuda financeira para manter a casa funcionando. A demanda tem aumentado bastante a medida que melhoramos o hospital. Os recursos do SUS não dão conta de mantê-lo funcionando na sua capacidade máxima”, disse a superintendente.

Os gestores da Santa Casa acreditam que o encontro foi positivo e que Lissauer se comprometeu a ajudar. “Fomos bem recebidos, e nos foi dada a oportunidade de conversarmos na plenária com os deputados para falar sobre a importância da Santa Casa na rede assistencial de Saúde do Estado de Goiás”, disse a assessoria de imprensa do hospital, por meio de nota.

O Mais Goiás entrou em contato com a assessoria do deputado, mas até o fechamento da matéria, às 18h17, não houve retorno.

Déficit da Santa Casa

De acordo com a administração do hospital, o déficit da Santa Casa tem diminuído. Hoje as contas fecham com R$ 54 milhões no vermelho, contra os cerca de R$ 110 milhões devidos no final de 2017. A administração afirmou ainda que o hospital, apesar de ter sustentabilidade financeira, vive com dificuldades.

A emenda coletiva solicitada à Alego servirá para complementar os repasses feitos pelo Sistema Único de Saúde (SUS). De acordo com o hospital, os pagamentos da rede pública são baixos porque não cobrem a produção e cerca de 98% dos pacientes são cobertos pelo SUS.

Atendimentos

A Santa Casa realiza cerca de 100 mil atendimentos ambulatoriais diariamente. Entre os meses de janeiro e outubro, foram realizadas mais de 38 mil consultas, 418 mil exames laboratoriais e mais de 8 mil internações pelo SUS. Além disso, foram realizadas 4,6 mil cirurgias gerais e cerca de 500 cirurgias cardíacas.