Do Mais Goiás

Rogério Caboclo é denunciado por assédio sexual e moral por funcionária da CBF

De acordo com a denúncia, o dirigente teria tentado forçar a funcionária a comer biscoito de cachorro

Foto: Leandro Lopes/CBF

Foi protocolado nesta sexta-feira (4) na Comissão de Ética da CBF e a Diretoria de Governança e Conformidade uma denúncia contra o presidente, Rogério Caboclo, por assédio sexual e moral a uma funcionária da entidade. Entre os fatos relatados, ela afirma que após alguns constrangimentos, o dirigente perguntou se ela se “masturbava” e em outro momento ele tentou forçá-la a comer um biscoito de cachorro, enquanto a chamava de “cadela”.

Os abusos cometidos por Rogério Caboclo começaram em abril de 2020 e a funcionária afirma ter provas dos fatos narrados. De acordo com uma entrevista ao Globo Esporte, ela ressalta que os abusos eram feitos na frente de outros diretores da CBF e que durante eles, o presidente estava sob efeito de álcool.

De acordo com a denúncia, o dirigente da CBF também teria exposto a vida pessoal da funcionária frente a outros integrantes da entidade com histórias falsas sobre supostos relacionamentos que ela teria dentro da CBF.

“Tenho passado por um momento muito difícil nos últimos dias. Inclusive com tratamento médico. De fato, hoje apresentei uma denúncia ao Comitê de Ética do Futebol Brasileiro e à Diretoria de Governança e Conformidade, para que medidas administrativas sejam tomadas”, comentou a funcionário ao GE.