Do Mais Goiás

Revista diz que Sara Winter negocia delação premiada com a PGR

Segundo a Veja, ativista pretende deixar Brasil caso acordo seja firmado

A ativista Sara Winter está em negociação com a Procuradoria-Geral da República (PGR) para oferecer um acordo de delação premiada. (Foto: reprodução)
A ativista Sara Winter está em negociação com a Procuradoria-Geral da República (PGR) para oferecer um acordo de delação premiada. (Foto: reprodução)

A ativista Sara Winter, investigada por participar de atos antidemocráticos, está em negociação com a Procuradoria-Geral da República (PGR) para oferecer um acordo de delação premiada. Segundo informações da Revista Veja, a investigada participou de audiência com o órgão na manhã de quinta-feira (8), para tratar do tema que ainda está em fase inicial.

Conforme o veículo, a audiência contou com a participação do procurador da República, Aldo de Campos Costa, responsável pelo inquérito pelo Supremo Tribunal Federal (STF), para investigar o financiamento das manifestações consideradas inconstitucionais. Além de comunicar a PGR sobre a intenção de delação, a ativista também avisou outros alvos do processo.

Caso consiga firmar o acordo, Sara Winter pretende sair do Brasil. Fundadora do movimento “300 pelo Brasil”, a ativista chegou a ser presa pela Polícia Federal pela participação em protestos que atentavam contra a democracia. Atualmente, ela cumpre prisão domiciliar, sob o monitoramento de uma tornozeleira eletrônica.

Chefiado por Sara, o grupo protagonizou, em maio de 2020, um acampamento na Esplanada dos Ministérios, em Brasília. O movimento durou cerca de um mês e meio e pregava o fechamento do Congresso Nacional e também do STF.