Saúde

Resultado de exames dos brasileiros vindos da China devem sair na próxima quarta-feira

“Foram realizadas coletas de amostras para proceder os exames para detecção, primeiramente, de coronavírus, e depois para o painel de mais 21 outros vírus respiratórios”


Francisco Costa
Do Mais Goiás | Em: 10/02/2020 às 16:42:42

(Foto: GloboNews)
(Foto: GloboNews)

A Secretaria Estadual de Saúde (SES-GO) recolheu amostras para exames de detecção, inicialmente, do coronavírus dos brasileiros que foram trazidos da China. A previsão éde que o resultado saia até a próxima quarta-feira (12). As 58 pessoas chegaram em dois aviões Embraer 190, da Força Aérea Brasileira (FAB) a Anápolis por volta das 6h da manhã de domingo (9).  São 31 brasileiros, três diplomatas em missão que foram repatriados de Wuhan, na China, para o Brasil e outros tripulantes.

O Ministério da Defesa, por meio de informações de uma equipe médica que estava a bordo dos aviões, disse que o grupo de passageiros estava bem de saúde e assintomático. Depois dessa avaliação, a SES-GO recolheu as amostras. Porém, além disso, a quarentena (neste caso, serão apenas 18 dias), ocorrerá com três consultas médicas diárias, conforme informou o secretário de Pessoal, Ensino, Saúde e Desporto do Ministério da Defesa, General Manoel Luiz Narvaz Pafiadache.

Ainda sobre a pasta goiana, a mesma informou que a equipe fez a coleta de todos repatriados, além de recolher material equipe médica e tripulação. Ao todo, são 58 pessoas. Atualmente, o Laboratório de Saude Publica Dr. Giovanni Cysneiros (Lacen-GO) faz as análises das amostras.

“Foram realizadas coletas de amostras para proceder os exames para detecção, primeiramente, de coronavírus, e depois para o painel de mais 21 outros vírus respiratórios”, reforçou a pasta. “O resultado para o novo coronavírus está previsto para quarta-feira, 12.”

Questionados acerca da condição de saúde dos isolados, a pasta disse não ter permissão para revelar. “Apenas os Ministérios da Saúde e da Defesa estão autorizados a divulgar as condições clínicas dos repatriados”, concluiu a nota.