Após mortes...

Representantes do TJ, MP e DPE realizam inspeção no Case do Setor Vera Cruz, em Goiânia

Local foi palco de duas mortes de adolescente por outros internos em menos de uma semana. Representantes constatam irregularidades no local


Joao Paulo Alexandre
Do Mais Goiás | Em: 15/06/2019 às 12:27:37

Centro de Atendimento Socioeducativo (Case) do Conjunto Vera Cruz (Foto: Reprodução/Google Street View)
Centro de Atendimento Socioeducativo (Case) do Conjunto Vera Cruz (Foto: Reprodução/Google Street View)

Representes do Ministério Público e da Defensoria Pública do Estado de Goiás, juntamente com o juiz Renato César Dorta Pinheiro, do 2º Juizado da Infância e Juventude da comarca de Goiânia, fizeram uma inspeção no Centro de Atendimento Socioeducativo (Case) do Setor Vera Cruz, na tarde desta sexta-feira (14). O local foi palco de duas mortes de adolescentes por outros internos em menos de uma semana.

No local, os representantes estiveram nos alojamentos e também ouviram adolescentes que cumprem penas socioeducativas. Segundo o magistrado, o Case funciona com algumas precariedades, principalmente nos alojamentos que, segundo ele, estão em péssimo estado de conservação. Ele aponta também o não funcionamento de câmeras de segurança no local.

Os representantes também notaram que as rondas de vigilância realizadas no centro são insuficientes e que o intervalo das revistas específicas em cada alojamento – realizadas bimestralmente – é tida como”falha”. O juiz afirma que as inconformidades do local exigem providências imediatas. Ele também aponta esses problemas como forma de contribuição para o clima de tensão que se insiste no local. “Episódios como as duas mortes que ocorreram em uma semana não podem continuar. Judiciário, Ministério Público e Defensoria Pública do Estado devem dialogar no sentido de apontar ao Executivo as falhas encontradas no local e propor soluções”, observou Renato.

Estiveram presentes no local a promotora de Justiça Claudia Maria Rojas e os defensores públicos Daniel Kenji Sano e Mayara Batista Braga. O Mais Goiás entrou em contato com a Secretaria de Desenvolvimento Social (Seds) que informou que não irá se manifestar sobre o assunto.

Duas mortes

No último dia 6 de junho, um adolescente de 17 anos foi apreendido após confessar que matou o interno C.E.O.S, de 15 anos. De acordo com a Seds, o menor foi encontrado enforcado com um lençol no banheiro do alojamento. Inicialmente, o interno negou a autoria do crime, mas apresentou agitação na presença dos policiais. Os detentos estavam apenas há quatro dias na unidade e que não havia histórico de brigas ou rixas entre os dois.

Ao delegado da Depai, Luiz Gonzaga Júnior, o menor confessou que agiu a mando de outro detento, de 16 anos, que também foi apreendido. Ele reforçou o titular da delegacia que o crime foi motivado por uma rixa entre o mandante e a vítima. O adolescente ainda afirmou que foi o próprio mandante que lhe deu a corda para execução do crime. Ambos foram recambiados ao juizado.

No último dia 11 de junho, Bruno Victor Vicente de Alcântara, de 18 anos, foi encontrado morto dentro da cela e a suspeita é que L.S.N.C., de 17 anos, tenha cometido o crime. De acordo com a Seds, o crime aconteceu na Ala II da unidade e que ambos não tinham histórico de conflitos no local.

Também a Luiz Gonzaga Júnior, o menor alegou que assassinou Bruno após ele alegar que teria estuprado uma mulher e a ter ameaçado para não denunciar o crime. Outro fator que o motivou, segundo o delegado, foi a vítima ter entregue o irmão à polícia por tráfico de drogas.