Do Mais Goiás

Representando governadores, Caiado anuncia Comissão de combate à pandemia no Brasil

Grupo com membros dos Três Poderes irá instituir protocolos a serem adotados por governadores e prefeitos

Caiado em anúncio nesta manhã (Foto: Reprodução)

Após reunião realizada na manhã desta quarta-feira (24), com sete governadores e representantes dos Três Poderes, o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) criou uma comissão para instituir diretrizes a serem tomadas para combate à pandemia de Covid-19 no Brasil. A reunião também definiu mudar direcionamento do campo diplomático com vistas a adquirir insumos e vacinas no campo internacional. O governador Ronaldo Caiado (DEM), presente na reunião, e representando os governadores, disse que ficou estabelecido um ponto de concórdia, em que “há convergência de todos para salvar vidas”.

“Haverá ações dentro do campo diplomático buscando maior parceria a países que têm excedente de vacinas que haja compartilhamento conosco, buscando sensibilizar os laboratórios que hoje têm a tecnologia da vacina, que entendam a necessidade de compartilhar para que outros laboratórios tenham condições de fabricá-las”, disse o goiano.

O governador de Goiás também informou que será criada uma assessoria dentro do Ministério da Saúde com a sociedade científica e estrutura médicos e técnicos de várias áreas da sáude para habilitação de leitos, técnicos para prestar assistência à população.

“Peço a todos que entendam que, em situações delicadas, críticas como estamos vivendo se faz também o isolamento social”, apontou Caiado.

Pressão

Os presidentes do Senado, Rodrigo Pacheco (DEM), e Arthur Lira (PP), pressionaram Bolsonaro para que mudasse o tom no combate à pandemia. Desde o repique e o aprofundamento dos casos de covid-19 no país, em meados de janeiro, o presidente faz críticas diretas às medidas de isolamento social adotadas pelos governadores, que tentam reverter o colapso da saúde pública no país.

Além disso, a demanda é que haja mudança no tom do Itamaraty, para que deixe de lado a visão ideológica de extrema-direita, em busca de vacinas em países com excedentes de insumos e imunizantes, como China e Estados Unidos.