Crise hídrica

Redução na captação de água do Meia Ponte atinge mil propriedades rurais e nove indústrias

Ação é prevista diante da redução de água do Rio, o que fez com que a vazão atingisse o nível crítico 2. Racionamento não é descartado pelas autoridades


Joao Paulo Alexandre
Do Mais Goiás | Em: 20/08/2019 às 18:50:49

(Foto: Divulgação/Semad)
(Foto: Divulgação/Semad)

Cerca de 1 mil propriedades rurais e nove indústrias devem se adaptar com a redução de 50% na captação de água no Rio Meia Ponte para outras finalidades que não seja abastecimento público e dessedentação animal. O rio entrou oficialmente no nível crítico 2 no último domingo (18). De acordo com a Secretaria de Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável (Semad), isso significa que o volume da vazão da bacia está igual ou menor que 3,3 mil litros por segundo.

O painel de acompanhamento em tempo real mostra que, na manhã desta terça-feira (20), a vazão estava em 2.887 litros por segundo. Para tentar amenizar a situação, segue em vigor a portaria 179/2019, publicada no último dia 14 de agosto. De acordo com o documento, a captação de água para irrigação fica autorizada apenas no período noturno, das 20 horas às 6 horas da manhã do dia seguinte.

A Semad destaca que ações como campanhas para o uso racional de água nos veículos de comunicação, fiscalização da vazão e orientações aos produtores rurais também continuam sendo realizadas. Um novo nível crítico será estabelecido caso o volume da água diminua durante sete dias seguidos.

Um plano de racionamento feito pela Saneago segue em análise na Agência Goiana de Regulação (AGR) para possível aprovação. A secretária da Semad, Andrea Vulcanis, não descarta racionamento, caso a vazão do Rio atinja o nível crítico 4 – vazão igual ou inferior a 1,5 mil litros por segundo.