Lixo

Reciclagem em Goiânia cresce 88% em relação a 2017

Materiais reciclados passaram de 24 mil metros cúbicos para 45 mil metros cúbicos desde o ano passado


Amanda Sales
Do Mais Goiás | Em: 18/01/2018 às 18:02:14

15 cooperativas são parceiras da Prefeitura no trabalho. (Foto: Luciano Magalhães)
15 cooperativas são parceiras da Prefeitura no trabalho. (Foto: Luciano Magalhães)

O número de materiais reciclado em Goiânia cresceu para 45 mil metros cúbicos, uma aumento de 88%, desde o mês de janeiro de 2017. Na época, eram reciclados 24 mil metros cúbicos de diversos materiais. Os dados são da Companhia de Urbanização de Goiânia (Comurg).

Em Goiânia, segundo a companhia, são produzidas em média, 34.620 toneladas de resíduos orgânicos por mês, o que equivale a 1.200 toneladas por dia. Desses resíduos, apenas 84 toneladas são encaminhado para reciclagem, num total de 7,7% em toda capital.

Em 2008, a Prefeitura de Goiânia, por meio de decreto Municipal, assinado pelo então prefeito Iris Rezende (PMDB), implantou o Programa Goiânia Coleta Seletiva (PGCS), com o objetivo de diminuir o impacto ambiental e gerar emprego e renda na inclusão de catadores, além de aumentar a vida útil do Aterro Sanitário e reduzir custos. Atualmente, o município possui parceria com 15 cooperativas que fazem a separação do material. Atualmente, algumas chegam a reciclar 70 toneladas de papel (papelão, papel misto e papel branco).

O dinheiro recebido pela venda desse material é dividido entre os cooperados e pode chegar à média de R$ 900 reais para cada um, por mês. A população tem contribuído com a separação desse material dando a destinação correta a esses resíduos, aumentando esse número cada vez mais.

O Presidente da Comurg, Denes Pereira, orienta que depois de separado o material, é só deixá-lo na porta de casa para serem recolhidos por um dos servidores da companhia. ‘Quando a população faz o seu papel, consequentemente diminuímos o impacto ambiental. Por isso, há muito a se fazer, pois mesmo separando esses materiais, muitos cidadãos ainda deixam os dejetos juntos, fazendo com que esse material perca todo o valor”, explica. (Com informações da Prefeitura de Goiânia)