Em busca de uma oportunidade

Quase mil desempregados formam fila na entrada de hospital, em Goiânia

Candidatos concorrem a 25 vagas distribuídas nas áreas de higienização, recepção, portaria, manutenção predial, farmácia, cozinha e para maqueiros


Thaynara Cunha
Do Mais Goiás | Em: 25/04/2019 às 12:05:29

(Foto: Leitora / Mais Goiás)
(Foto: Leitora / Mais Goiás)

Centenas de desempregados formaram uma fila gigantesca, na manhã desta quinta-feira (25), na porta do Hospital do Coração de Goiás, localizado no Setor Oeste, em Goiânia. O Mais Goiás falou com uma das candidatas às vagas oferecidas pela unidade de saúde, Bruna Fentanes. A estudante de Farmácia relatou que chegou no local às 5h30 e a fila já estava extensa.

“Eu fiquei sabendo da vaga através das redes sociais de uma professora lá da faculdade. Eu fui para a entrevista pensando que seria algo mais voltado para os estudantes de Farmácia, mas quando cheguei no hospital eu assustei com a quantidade de pessoas. Quando eu vi tanta gente até desanimei”, elucida.

A fila começou a se formar ainda no final da madrugada. Ela se iniciava na entrada do hospital e dava a volta no quarteirão. Segundo a unidade, aproximadamente 900 pessoas estiveram no local para concorrer aos cargos. O hospital disponibilizou vagas para as áreas de cozinha, farmácia, higienização, manutenção predial, maqueiro, recepção e portaria.

De acordo com o Hospital do Coração, às 7h15 foram distribuídas 200 senhas por ordem de chegada e aqueles que receberam estão sendo entrevistados. Os candidatos que não receberam senha foram dispensados e tiveram seus currículos recolhidos para contato caso surjam oportunidades no futuro. Foram recebidos mais de 800 currículos. Caso as vagas não sejam preenchidas pelas pessoas que receberam a senha, aqueles dispensados serão convocados.

Para a estudante de Farmácia, o hospital deveria ter entrevistado todos os candidatos, uma vez que eles aguardaram durante horas na fila. “Eu achei um absurdo, fiquei horrorizada, de verdade. Eles tinham nos dispensado sem pegar nada, muitas pessoas foram embora revoltadas. O hospital só pegou os nossos currículos depois que muita gente foi reclamar. Nós ainda pedimos que eles realmente nos deem uma resposta sobre as vagas. Já é tão difícil conseguir emprego na nossa área e ficar esperando uma resposta que não vai chegar é horrível”, lamenta.

A divulgação das vagas foi feita nesta terça-feira (23), através das páginas do Hospital do Coração de Goiás no Facebook e Instagram. Os interessados deveriam comparecer para entrevista à partir das 7h desta quinta-feira, munidos de currículo.

Desemprego

Segundo a Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios (PNAD) Contínua, divulgada pelo IBGE, no primeiro trimestre de 2019, o número de desempregados no Brasil é de 13,1 milhões. A taxa de desemprego no Brasil ficou em 12,4%. Essa quantidade representa uma alta de 7,3% em relação ao último trimestre de 2018, que registrou 12,2 milhões.

Já a quantidade de pessoas que estão desanimadas para buscar uma oportunidade de emprego chegou a 4,9 milhões, considerada pela pesquisa como um recorde da série. O percentual equivalente foi de 4,4%. Levando em consideração o mesmo período em 2018, houve um aumento de 275 mil pessoas nesta condição.

Contudo, na contra-mão da alta de desempregos a nível nacional, o Estado de Goiás tem apresentado a maior taxa de crescimento de empregos do Brasil. Conforme dados divulgados pelo Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged), só em março foram criados 2.712 postos de trabalho em Goiás.

Em comparação com outros estados, Goiás gerou 14.226 postos de trabalho, enquanto Mato Grosso do Sul criou 10.570; Mato Grosso, 8.863; e Distrito Federal, 4.936. No primeiro trimestre de 2019 foram abertos quase 6 mil novos empreendimentos no estado.

 

Visualizar esta foto no Instagram.

 

Agora: Desempregados formam fila gigante por emprego na porta do Hospital do Coração, em Goiânia. Vídeo @bruna_fentanes Foto @soniasilvaleite

Uma publicação compartilhada por Mais Goiás (@maisgoias) em


*Thaynara da Cunha é integrante do programa de estágio do convênio entre Ciee e Mais Goiás, sob orientação de Thaís Lobo