Saúde

Quarta morte por H1N1 no Estado é confirmada em paciente de Caldas Novas

Vítima tinha 19 anos. É o segundo caso de óbito pela doença registrado na cidade




A Secretaria de Saúde de Caldas Novas confirmou a morte de Débora Cristina Rosa, de 19 anos, em decorrência de complicações do vírus Influenza A, categoria H1N1. Essa foi a segunda morte registrada de uma paciente da cidade. Na semana passada, uma mulher grávida faleceu após ser transferida para tratamento em Goiânia.

Por meio de nota, a Secretaria de Saúde de Caldas Novas reiterou que todos os métodos e procedimentos foram tomados para tratar Débora. Conforme o texto, não houve, “em nenhuma hipótese”, qualquer tipo de negligência ou omissão dos profissionais desta Secretaria de Saúde de Caldas Novas.

Com a confirmação da morte de Débora, sobe para quatro o número de óbitos em decorrência do H1N1 no Estado. As outras vítimas fatais foram um idoso, em Goiânia, e uma adolescente, em Rio Verde. O município, inclusive, é o que possui o maior número de casos da doença: até o dia 29 de março havia quatro confirmações e 12 sob investigação.

Em 2015, a Secretaria da Saúde notificou 328 casos de Síndrome Respiratória Aguda Grave (SRAG), com 64 mortes. Deste total, 37 foram confirmados como sendo de Influenza; 12 foram encerrados como Influenza B acarretando em três óbitos; 23 como sendo Influenza H3N2, levando a sete óbitos; um como Influenza A não subtipado, com ocorrência de uma morte e um de H1N1 com uma morte. Em 2016, estão sob investigação as causas de 21 casos da Síndrome Respiratória Aguda Grave.

Sintomas da H1N1

O vírus da Influenza A H1N1 que está circulando pelo País apresenta os seguintes sintomas iniciais: febre alta repentina, acompanhada por tosse, dor de garganta, dores musculares, dor de cabeça e mal estar intenso. Eles podem evoluir para dificuldades na respiração como dispneia, desconforto respiratório, piora nas condições clínicas e pressão baixa.

Como medidas de precaução recomenda-se à população evitar aglomeração de pessoas, reforçar as medidas de higiene com a lavagem das mãos e esterilização com álcool 70%, usar lenços descartáveis ao tossir e manter os ambientes limpos e arejados.