TRÂNSITO

Quarentena reduz em 93,2% casos de embriaguez ao volante em rodovias federais goianas

Dados obtidos pelo Mais Goiás nesta terça-feira (31) apontam ainda redução em acidentes, feridos, óbitos e prisões


Jessica Santos
Do Mais Goiás | Em: 31/03/2020 às 16:58:38

O período de quarentena e isolamento social em Goiás reduziu em 93,2% os casos de embriaguez ao volante nas rodovias federais que cortam o Estado. (Foto: PRF/ Divulgação)
O período de quarentena e isolamento social em Goiás reduziu em 93,2% os casos de embriaguez ao volante nas rodovias federais que cortam o Estado. (Foto: PRF/ Divulgação)

O período de quarentena e isolamento social em Goiás reduziu em 93,2% os casos de embriaguez ao volante nas rodovias federais que cortam o Estado. Na última quinzena de março de 2020, a Polícia Rodoviária Federal (PRF) registrou apenas 10 infrações por alcoolemia. No mesmo período em 2019 foram 147 autuações. Dados obtidos pelo Mais Goiás nesta terça-feira (31) apontam ainda redução em acidentes, feridos, óbitos e prisões.

De acordo com o levantamento, houve redução 22, 48% de acidentes durante a quarentena. Entre os dias 16 e 30 de março, foram registrados 69 colisões contra 89 no mesmo período no ano passado. No caso de feridos, a queda foi de 41,47% com 72 pessoas feridas em 2020 e 123 casos em 2019. No caso de óbitos houve diminuição de cinco para três registros, um total de 40%.

Os dados apontam que as autuações foram reduzidas. Nos últimos 15 dias do mês de março 3.892 motoristas foram autuados. Em 2019, foram 8.295 autuações. A queda é de 53,09%. No caso de prisões os números também são bastante expressivos: 14 detidos contra 78 no ano passado, uma redução de 92,2%.

Para o inspetor Newton Morais, da PRF, a diminuição dos índices tem ligação direta com a pandemia e isolamento social. “Temos percebido que o momento caiu muito nas rodovias federais goianas e a consequência disso é a queda em todos os índices. Isso mostra que o chamado dos governantes tem dado resultado e as pessoas têm cumprido a determinação de ficar em casa. A nossa expectativa era de redução mesmo”, justificou.

Entre as reduções, o agente destaca, principalmente, a queda de embriaguez ao volante. “Com os estabelecimentos fechados, o pessoal tem ficado mais em casa. Se estão bebendo é em casa. A prova são os números. Apenas 10 pessoas foram autuadas neste sentido. No mesmo período em 2019 foram 147”.

Newton lembrou que, apesar de boatos e fake news, as divisas entre estados não foram fechadas e não houve restrição de rodovias federais. A maior parte da movimentação, segundo ele, refere-se a veículos de carga. “O volume de veículos de passeio em circulação reduziu consideravelmente. Vemos mais em áreas urbanas. É um momento de conscientização e responsabilidade. ”, disse.

Cuidados

O inspetor explica que, em razão da pandemia, a corporação adotou alguns cuidados para preservar a saúde tanto dos agentes quanto dos motoristas. Uma das medidas adotadas é o uso de Equipamentos de Proteção Individual (EPIs). “Sempre utilizamos luvas e máscaras para conferir documentação do automóvel e motorista. Estamos atentos também ao uso de álcool em gel como cuidado de higiene. Nessa troca de contato de objetos é possível uma contaminação, por isso a atenção redobrada”, salientou.

Além de cuidados ao manusear objetos de terceiros, a PRF também tem sido cautelosa no uso do etilômetro. “Apenas em condições específicas quando há sinais claros de embriaguez ou caso de acidente”, garante Newton. “Tivemos um caso de um motorista de 40 anos que tombou uma carreta na BR-153, em Uruaçu. Nesse caso fizemos o teste e ficou comprovada a embriaguez com percentual de 1.2% de alcoolemia”.

A corporação ainda tem realizado campanhas como ‘Siga em frente caminhoneiro’ em que os agentes arrecadam alimentos e kits de higiene e doam a caminhoneiros que circulam nas rodovias federais. Até o momento, mais de mil motoristas receberam as doações.