POLÍTICA

PSD vai manter independência com relação ao governo, diz Vilmar Rocha

Ex-deputado Vilmar Rocha afirma que partido ficará independente para se fortalecer com vistas a 2022


Eduardo Pinheiro
Do Mais Goiás | Em: 07/01/2021 às 12:21:50

Vilmar Rocha (Foto: Divulgação)
Vilmar Rocha (Foto: Divulgação)

“Na política, um dia vale uma eternidade”. Ao citar Tancredo Neves, o presidente do PSD goiano, Vilmar Rocha, tenta mostrar que o tempo da política é diferente. O ex-deputado garante que a posição do partido é de independência em relação ao governo estadual, por isso deve estar fora da composição que virá a partir da reforma do secretariado que o governador Ronaldo Caiado (DEM) deve fazer nas próximas semanas.

A posição de independência visa o fortalecimento do PSD para 2022. O presidente do partido diz que nas proximidades das eleições do ano que vem assumirá posicionamento. “Um governo se compõe com quem o apoiou. Acho natural que isso ocorra. Mas temos independência em relação ao governo estadual e federal”, aponta.

O PSD fez aliança com o governo do estado, sob o nome de Vanderlan Cardoso, na disputa a prefeitura de Goiânia em 2020. A tendência seria o apoio à reeleição de Caiado. No entanto, Vilmar prefere deixar as possibilidades em aberto para avaliação do cenário, que pode mudar até a eleição estadual do ano que vem.

“Um dia pode mudar coisas impensáveis”, diz em referência à frase de Trancredo Neves.

Goiânia

Quanto ao apoio do deputado estadual Lucas Calil (PSD) à prefeitura de Goiânia, Vilmar garante que o parlamentar tem direito à livre manifestação. “Não é a posição do partido”, salienta, no entanto. Ele diz os parlamentares têm o direito de se posicionar livremente.

Apesar de ser do partido de Vanderlan Cardoso, Lucas Calil apoiou Maguito Vilela (MDB) e deve indicar um nome para secretário extraordinário para assuntos da região metropolitana da prefeitura de Goiânia.

“Em maio de 2022 haverá janela partidária. Acredito que haverá, ali, reacomodação. Uns sairão e outros devem vir para o PSD”, diz Vilmar.

O Mais Goiás tentou contato com o deputado Lucas Calil, mas não obteve resposta até o fechamento da matéria.