DETIDOS

Proprietários de supermercado são presos por sonegação em Aparecida de Goiânia

Comerciantes são donos de três supermercados e um galpão. Eles podem responder por receptação, caso se confirme que produtos são roubados


Fabricio Moretti
Do Mais Goiás | Em: 14/11/2019 às 18:37:25

Comerciantes são donos de três supermercados e um galpão. Eles podem responder por receptação, caso se confirme que produtos são roubados (Foto: Divulgação/PC)
Comerciantes são donos de três supermercados e um galpão. Eles podem responder por receptação, caso se confirme que produtos são roubados (Foto: Divulgação/PC)

Dois sócios proprietários de uma rede de supermercados de Aparecida de Goiânia foram presos na quarta-feira (13) suspeitos de sonegação fiscal. Os comerciantes são donos de três supermercados e um galpão e, segundo a Polícia Civil (PC), podem responder também pelo crime de receptação, caso fique confirmado que os produtos dos estabelecimentos são roubados.

A corporação acredita que o prejuízo com a sonegação fiscal pode ultrapassar R$ 300 mil.O delegado Alexandre Bruno Barros, da Delegacia Estadual de Repressão a Furtos e Roubos de Cargas (Decar), informa que os produtos apreendidos não tinham documentação fiscal e o galpão não possui registro. “As carnes apreendidas estão sem carimbo da vigilância sanitária e armazenadas em temperaturas fora do permitido. A Decar está investigando se todos os produtos da rede são provenientes de roubo e furto”, diz.

Proprietários de supermercado são presos por sonegação em Aparecida de Goiânia

Segundo a Polícia Civil (PC) podem responder também pelo crime de receptação, caso confirme que os produtos dos estabelecimentos são roubados (Divulgação/PC)

De acordo com a PC, os estoques dos comércios foram fechados pelos agentes fazendários. “Todos os lotes dos produtos expostos à venda e estocados estão sendo investigados para sabermos se são fruto de roubo ou furto. Os supermercados terão suas licenças de funcionamento caçadas a pedido da Justiça”, lê-se na ocorrência da corporação.

 

Atuaram na ‘Operação Preço Justo’ juntamente com a Decar, a Polícia Rodoviária Federal (PRF) e a Secretaria de Economia do Estado de Goiás (Secon). A ação foi realizada com base em levantamentos realizados pelos três órgãos visando o comércio de supermercados em Aparecida de Goiânia, Goiânia e Senador Canedo.