MPGO

Promotor requisita esclarecimentos sobre irregularidades no Samu de Goiânia

Entre as práticas que serão investigadas estão o assédio moral, desvio de recursos e de finalidade no uso das viaturas do serviço


Thais Lobo
Do Mais Goiás | Em: 30/06/2018 às 09:04:06

Foto: Reprodução
Foto: Reprodução

Após receber informações do Sindicato dos Condutores de Ambulância do Estado de Goiás (Sindconan), o promotor de Justiça Marcus Antônio Ferreira Alves, em substituição na 82ª Promotoria de Justiça de Goiânia, expediu nesta sexta-feira (29) uma série de requisições visando apurar notícias de irregularidades no Samu de Goiânia. Entre as práticas que serão investigadas estão o assédio moral, remanejamento indevido de servidores, exposição de trabalhadores e pacientes a riscos, além de desvio de recursos e de finalidade no uso das viaturas do serviço.

O promotor também instaurou procedimento administrativo para apuração dos fatos, requisitando, de imediato, ao Departamento Estadual de Trânsito de Goiás (Detran), à Secretaria Municipal de Saúde, à Seção de Auditoria do Ministério da Saúde em Goiás (Denasus) vistorias, informações e auditorias, conforme a competência de cada um dos órgãos, todos com prazo de 48 horas para encaminhamento de respostas.

Ao Detran, foi solicitada vistoria nos veículos de transporte sanitário de pacientes da Secretaria de Saúde. Ao Denasus, a apuração de suposto desvio de verbas federais destinadas ao Samu, a verificação da qualidade das viaturas e serviço prestado pelo Samu e a investigação de eventual desvio de recursos destinados à manutenção e reposição de motolâncias, cujo serviço foi suspenso em 2015.

Por fim, o promotor quer saber da Secretaria de Saúde se a quantidade de ambulância em uso para o transporte sanitário de pacientes no município é suficiente, devendo o órgão especificar os tipos de veículos e quantidades necessárias para o atendimento adequado, conforme portarias do Ministério da Saúde, informando ainda as condições de uso dos carros e sobre o remanejamento de servidores.

Com informações do MPGO

Tópicos