Justiça

Promotor oferece denúncia contra acusados de causar acidente que levou à morte de psicóloga

Juliana Soares Dias, de 32 anos, fazia um cruzamento na Marginal Botafogo, nas proximidades da Avenida Goiás Norte, no Setor Norte Ferroviário, em Goiânia, quando teve o seu veículo atingido





//

O promotor de Justiça Maurício Gonçalves de Camargo ofereceu nesta sexta-feira (29/5) denúncia contra Fabrício Ricardo Vieira da Costa e Wadson Silva Lira pela morte da psicóloga Juliana Soares Dias.

O crime ocorreu na noite do último dia 29 de abril, na confluência da Avenida Goiás Norte com a Marginal Botafogo, no Setor Norte Ferroviário. Eles também foram denunciados por tentativa de roubo qualificada, contra outra vítima.

Segundo apuração, os dois jovens estavam, por volta das 22h30, em um bar no Setor Crimeia Leste, quando tentaram roubar um homem que estava em uma moto. A vítima, contudo, acelerou o veículo e conseguiu fugir. Assim, enquanto fugia, encontrou uma viatura da polícia e comunicou a tentativa de roubo, informando os dados do veículo em que os denunciados estavam.

De acordo com a denúncia, imediatamente os policiais avistaram o carro dos assaltantes e passaram a persegui-los. Notando que estavam sendo seguidos, Fabrício da Costa e Wadson Lira começaram a fugir em alta velocidade até que, na confluência da Avenida Goiás com a Marginal Botafogo, furaram o sinal vermelho, invadiram a pista contrária e bateram no veículo de Juliana Dias, causando sua morte. Juliana, de 32 anos, era psicóloga e professora universitária e, no dia do crime, estava voltando do trabalho para casa.

Para o promotor, os denunciados, ao trafegarem em elevada velocidade, em região movimentada de Goiânia e invadirem o sinal que estava fechado para eles, assumiram o risco de matar, agindo, portanto, mediante dolo eventual. Consta ainda na denúncia que o carro utilizado por eles possuía o número do chassi adulterado.