Política

Projeto de Lei pretende tranformar todos os assentos dos ônibus em preferenciais

Segundo a vereadora Tatiana Lemos, autora da proposta, medida é para atender a demanda de idoso, pessoas com deficiência, gestantes e lactantes


Thais Lobo

Do Mais Goiás | Em: 11/03/2019 às 09:07:48


Desde novembro, idosos, gestantes e passageiros com criança de colo, com deficiência ou mobilidade reduzida têm prioridade para sentar-se em todos os bancos de ônibus e trens de metrô de Brasília | Foto: Tony Winston/Agência Brasília
Desde novembro, idosos, gestantes e passageiros com criança de colo, com deficiência ou mobilidade reduzida têm prioridade para sentar-se em todos os bancos de ônibus e trens de metrô de Brasília | Foto: Tony Winston/Agência Brasília

Projeto de lei apresentado na na última quinta-feira  (7) na Câmara Municipal de Goiânia pretende tornar preferencial todos os assentos do transporte coletivo da capital para idosos, gestantes, lactantes, obesos, pessoas com deficiência física e aquelas acompanhadas por criança de colo. “Na ausência de usuários preferenciais, os assentos livres serão utilizados pelos demais usuários”, diz o texto de autoria da vereadora Tatiana Lemos (PCdoB).

Caso a proposta seja aprovada, as empresas que exploram o serviço público de transporte coletivo deverão afixar cartazes no interior dos veículos informando que todos os assentos são de usos preferenciais de idosos, gestantes, obesos e pessoas com deficiência.

Ao justificar seu projeto, a vereadora lembrou que “atualmente uma pequena parcela dos assentos são destinados a esses grupos preferenciais. Entretanto, esse número não atende a demanda, bem como as circunstâncias atuais. É preciso, então, alterar esse quadro, ampliando a oferta de assentos a esses segmentos sociais”.

Tatiana acrescentou ainda que “em horários de superlotação, nos horários de picos, por exemplo, muitas pessoas desses grupos acabam sendo transportadas em pé dentro dos ônibus, em todo o trajeto. Muitas pessoas não agem com compaixão ao não oferecer o assento para uma pessoa em tão condição. Falta de educação e desumanidade, sensibilidade e gentileza. Nossa proposta, portanto, tem elevado alcance social e humanitário”, concluiu.

Proposta semelhante já entrou em vigor em Brasília. Desde novembro do ano passado, todos os assentos dos ônibus e trens de metrô da cidade são preferenciais.

*Com informações da Câmara Municipal de Goiânia