Do Mais Goiás

Projeto cultural lança série infantil com atriz Alexandra Richter

A série "Eu, a Célula", traz contações de histórias com a atriz, que traz diversão e ensinamentos para os pequenos

Projeto cultural lança série infantil
Atriz Alexandra Richter conta histórias em vídeo da Associação Viva e Deixe Viver (Foto: Divulgação)

Em busca de algo diferente pra aproveitar com as crianças? Vem aí um projeto que promete divertir e ainda levar bons ensinamentos aos pequenos, por meio da contação de histórias. A Associação Viva e Deixe Viver (Viva), organização que congrega cerca de 1,3 mil voluntários, responsáveis por contar histórias em 85 hospitais brasileiros, lança nesta semana o primeiro vídeo da série “Eu, a Célula“, contada pela atriz Alexandra Richter.

Durante a série, que será apresentada pelo YouTube e site da associação, serão contadas histórias da coleção escrita por Dulce Rangel, que leva o mesmo nome e foi publicada pela editora Viva e Deixe Viver, em 2015. A coleção leva 10 livros, que são Eu, a célula, Hora do Remédio, Nossa Digestão, Cuidados com os Dentes, Nossa Pele, Nosso Cérebro, Hora do Banho, Nosso Coração, No Hospital e Nosso Esqueleto.

A autora escreveu os livros em um momento doloroso de sua vida, mas que também representou uma grande vitória – quando seu filho foi diagnosticado com leucemia. A partir daquele dia, Dulce passou a direcionar seu trabalho às crianças, com textos e ilustrações criadas para aliviar o sofrimento e elevar a autoestima dos pequenos pacientes que enfrentam problemas parecidos.

Assim, a narrativa da coleção “Eu, a Célula”, leva as crianças a uma jornada de autoconhecimento, com estímulos para que adotem cuidados com o próprio corpo, mesmo quando não estão enfrentando problemas de saúde. Assim, Alexandra Richter contribui para que as histórias sejam passadas de forma leve e divertida, sem deixar de lado a importância dos temas.

Segundo Dulce: “Diante da lenta e difícil resposta do tratamento do meu filho, busquei a criatividade para incentivar a comunicação entre ele e seu corpo. O que me fez escrever os livros foi dar a toda criança chances dela conhecer seu corpo e ser participante em todo e qualquer processo de cura. Lendo e se divertindo, a criança aprenderá atitudes positivas para ser mais saudável e feliz. ‘Conhecer para cuidar’ é a frase que associo aos livros desta coleção“, afirma.

Para Valdir Cimino, que é fundados da Viva, a tripla parceria é importante para semear a ideia de autocuidado entre as crianças. “Os livros da Dulce Rangel são um trabalho excepcional e ajudam os voluntários a abordar a prevenção da saúde e não apenas a doença. Transformá-los em vídeo com a grandiosa interpretação da Alexandra Richter vai fazer essa mensagem ir mais longe, especialmente no cenário de pandemia, em que os vídeos tem se mostrado grandes aliados no trabalho da Viva“, comenta.

O primeiro vídeo divulgado é da história que leva o mesmo nome da coleção: Eu, a Célula. São dois minutos e meio em que os pequenos são apresentados a esta amiga super íntima, mas que eles nunca viram. Para assistir, acompanhe o canal no YouTube da Associação Viva.

Leia também: