Karla Araujo
Do Mais Goiás

Professores de Educação Física protestam contra exigência de bacharelado para trabalhar em academias

Uma audiência que acontece hoje no prédio da Justiça Federal pode determinar o futuro destes profissionais

Cerca de 80 professores de Educação Física realizaram uma manifestação na tarde desta quinta-feira (30) em frente ao prédio da Justiça Federal, na Rua 19, no Centro. Uma audiência que acontece hoje pode decidir o futuro desta categoria.

Durante o protesto, os profissionais pediram mais tempo para que possam se adequar às novas regras de distribuição de vagas de emprego determinada pelos conselhos Regional e Federal de Educação Física. Para as entidades, apenas bacharéis podem trabalhar em academias e clubes. Os professores que possuem diploma de licenciatura teriam o trabalho restrito às salas de aula.

O vice-presidente da Associação dos Professores/Profissionais de Educação Física do Estado de Goiás (Apef-GO), Jorgio Avliss, afirma que atualmente cerca de 800 profissionais com licenciatura em Educação Física trabalham em Goiás em cargos que, para os conselhos, são destinados a bacharéis.

“A grade da maior parte das faculdades é a mesma e só muda o título. Queremos tempo para fazermos o complemento do curso e nos tornarmos bacharéis também. Se a mudança for aprovada, ficamos sem emprego para pagar pelo novo curso e isso não é justo. Precisamos de pelo menos mais seis anos”, afirma Avliss.