Prevenção

Professores das redes pública e privada serão vacinados contra gripe a partir de 2ª

MS entendeu que este é um público prioritário porque tem contato com grande quantidade de crianças e jovens no trabalho, e a vacinação pode contribuir para ampliar o bloqueio contra o vírus da gripe


Thiago Burigato
Do Mais Goiás | Em: 13/05/2017 às 14:05:57

A vacinação para os profissionais vai de 15 a 19 deste mês (Foto: Cristina Cabral)
A vacinação para os profissionais vai de 15 a 19 deste mês (Foto: Cristina Cabral)

Pela primeira vez, os professores das redes pública e privada de Goiás vão receber de graça a imunização contra a gripe, por meio da Campanha Nacional de Vacinação contra Influenza, promovida pelo Ministério da Saúde (MS), em todo o Brasil. A vacinação para os profissionais vai de 15 a 19 deste mês.

Nas etapas anteriores, os professores não recebiam a vacina por meio da campanha. No entanto, o MS entendeu que este é um público prioritário porque tem contato com grande quantidade de crianças e jovens no trabalho, e a vacinação pode contribuir para ampliar o bloqueio contra o vírus da gripe.

A influenza, popularmente conhecida como gripe, é uma doença febril, aguda e geralmente benigna. De acordo com o MS, os principais sintomas são: febre, calafrios, tremores, dor de cabeça, mialgia e anorexia, assim como sintomas respiratórios com tosse seca, dor de garganta e coriza. Existem 3 tipos de vírus influenza: A, B e C. O tipo C da influenza tem infecções respiratórias mais brandas. Os vírus A e B são os que causam maior impacto na saúde pública.

Além dos professores, que entram agora na campanha, também podem se vacinar: idosos com 60 anos ou mais; crianças na faixa etária de 6 meses a menos de 5 anos; gestantes; puérperas até 45 dias após o parto; indígenas; trabalhadores da saúde que fazem atendimento nas unidades para a influenza; adolescentes e jovens de 12 a 21 anos sob medidas socioeducativas; e população privada de liberdade, entre outros.

Mortes

Os dados do MS revelam que, em 2016, ocorreram 7.171 mortes por Síndrome Respiratória Aguda Grave (Srag) – um problema de saúde relacionado à influenza. A causa de outras 1.982 mortes foi atribuída ao H1N1, um subtipo do vírus influenza A.