CAIS

Professora denuncia limite de senhas para vacina contra sarampo em Centros de Saúde de Goiânia

SMS, entretanto, nega qualquer orientação para limitar quantidade de atendimentos ao dia

Cidades

Larissa Lopes
Do Mais Goiás | Em: 02/09/2019 às 18:41:43

Caixa de doses de vacina contra o sarampo. (Foto: Lucas Lacaz Ruiz/Folhapress)
Caixa de doses de vacina contra o sarampo. (Foto: Lucas Lacaz Ruiz/Folhapress)

A professora Renata Araújo denunciou ao Mais Goiás nesta segunda-feira (2) que ao tentar conseguir uma vacina contra o sarampo em dois Centros de Assistência Integral a Saúde (CAIS) de Goiânia não conseguiu. Um é localizado na Vila União e outro no Parque Anhanguera. No primeiro, segundo contou, ela foi informada que são distribuídas apenas 20 senhas por turno, 40 diárias. Sendo assim, ela se deslocou para a outra unidade, onde recebeu a informação de que são distribuídas 20 senhas no total ao dia.

“Os dois estavam muito cheios quando cheguei. Foi quando a funcionária falou sobre o limite estabelecido”, conta. Ela diz que uma colega de trabalho relatou ter passado pela mesma situação na unidade do setor Novo Horizonte. “Ela recebeu a mesma informação e, no outro dia, conseguiu se vacinar contra o sarampo porque chegou mais cedo e ficou entre as 20 pessoas. Mas teve que aguardar mais de uma hora no local”, completa.

O Mais Goiás tentou contato com as unidades apontadas. No setor Novo Horizonte, uma servidora informou que a distribuição é feita conforme a demanda. “Mas às vezes não dá tempo de atender todos durante o turno de funcionamento, que é das 7h às 19h”, diz.

Outra funcionária, do Cais da Vila União, informou que no local a distribuição de senhas também está “normal”, sem qualquer limite. “Vocês devem estar confundindo com outra unidade”, completou.

As ligações ao Cais do Parque Anhanguera não foram atendidas até o fechamento desta matéria.

O que diz a Secretaria Municipal de Saúde sobre o limite de senhas para a vacina contra o sarampo?

Segundo a Superintendente de Vigilância em Saúde da Secretaria Municipal de Saúde (SMS) de Goiânia, Flúvia Amorim, não há qualquer orientação para que os centros de saúde limitem a quantidade de vacinas contra o sarampo diariamente. “Vamos fiscalizar. Se caso unidades estiverem fazendo isso, serão penalizadas”, afirma.

Ela completa afirmando que, se alguém receber tal informação, deve procurar a ouvidoria da SMS.