Procon orienta consumidores a pesquisar preços antes da Black Friday

A estimativa é que, neste ano, a Black Friday movimente R$ 2,8 bilhões no comércio eletrônico do Brasil


Juliana França
Do Mais Goiás | Em: 05/11/2018 às 17:08:26

A comparação dos preços antes e durante a Black Friday permite que o consumidor faça uma compra verdadeiramente vantajosa. (Foto: Reprodução)
A comparação dos preços antes e durante a Black Friday permite que o consumidor faça uma compra verdadeiramente vantajosa. (Foto: Reprodução)

O Procon Goiás orienta os consumidores goianos a pesquisar os preços dos produtos desejados antes da próxima edição da Black Friday, que será no dia 23 de novembro. O objetivo do Procon Goiás é evitar que o consumidor seja prejudicado durante as compras, principalmente online.

A estimativa é que, neste ano, a Black Friday movimente R$ 2,8 bilhões no comércio eletrônico do Brasil. Os dados são da Associação Brasileira de Comércio Eletrônico. No total, a expectativa é que as lojas virtuais brasileiras recebam mais de 8,8 milhões de pedidos, com tíquete médio de R$ 326. As categorias mais buscadas devem ser Informática, Celulares, Eletrônicos, Moda e Acessórios e Casa e Decoração.

De acordo com Marcos Rosa, gerente de fiscalização do Procon Goiás, nos anos anteriores, foi constatado que empresas comercializavam produtos na Black Friday pelos mesmos preços ofertados fora da promoção. “Também é comum nessa época do ano muitas lojas realizarem promoções de até 80% de desconto em produtos, apenas para atrair consumidores, mas quando a pessoa chega no estabelecimento constata que não há nenhum desconto nesse valor”, explica o gerente.

Por isso, o Procon orienta também que caso o consumidor desconfie de publicidades enganosas que ofereçam descontos agressivos, devem entrar em contato com o Procon Goiás pelo telefone (62) 3201-7124. As orientações são tanto para lojas físicas quanto virtuais.

Compras virtuais

Quando o consumidor for adquirir os produtos em lojas virtuais, alguns cuidados são essenciais. De acordo com Marcos, deve-se verificar em sites de reclamações se a empresa na qual se deseja realizar a compra já realizou vendas para consumidores anteriormente e se os consumidores ficaram satisfeitos com a compra. “É sempre importante conferir se a entrega do produto foi realizada dentro do prazo e se o consumidor recebeu o produto conforme ofertado”, disse.

Deve-se evitar as compras em sites desconhecidos, tendo em vista que, em edições anteriores da Black Friday, foram constatados sites criados poucos dias antes do evento, com o objetivo de enganar o consumidor. “Algo que não pode ser deixado de lado é a necessidade do consumir de imprimir e salvar todos os documentos que demostrem a compra e a confirmação do pedido, como comprovante de pagamento, contrato ou anuncio publicitário do site, além de e-mails que por ventura o consumir tenha trocado com o site”, explicou.

O gerente de fiscalização lembra ainda que, de acordo com o Código de Defesa do Consumidor, a pessoa, ao realizar compras pela internet ou por telefone, tem o prazo de até sete dias para desistir da compra.

Fiscalização

Desde o mês de outubro o Procon Goiás está coletando os preços dos principais produtos comercializados na Black Friday. “Esses preços serão comparados com os preços dos mesmos produtos na promoção para verificar a existência ou não de publicidade enganosa”, explicou Marcos.

Os dados da pesquisa serão divulgados em breve, segundo o Procon Goiás. A Black Friday é um evento de origem norte-americana, realizado na sexta-feira após o Dia de Ação de Graças.  No Brasil, o evento começou a ser realizado a partir do ano de 2010.