Pesquisa

Procon detecta variações abusivas no preço dos genéricos

A variação entre o menor e maior preço desses medicamentos chega a 972,26% em Goiânia


Thais Lobo
Do Mais Goiás | Em: 27/04/2017 às 14:03:58

Cloridrato de Metoclopramida foi o medicamento com maior variação dentre os pesquisados (Foto: Reprodução)
Cloridrato de Metoclopramida foi o medicamento com maior variação dentre os pesquisados (Foto: Reprodução)

Desde o dia 31 de março deste ano, foi autorizado um reajuste no preço dos remédios que são controlados no mercado varejista brasileiro na faixa que vai de 1,36% a 4,76%. Eles correspondem a 19 mil exemplares fabricados no Brasil. Esse é o reajuste máximo permitido aos fabricantes segundo a resolução emitida pela Câmara de Regulação do Mercado de Medicamentos (Cmed).

Para acompanhar o impacto no bolso do consumidor, o Procon Goiás visitou 22 drogarias de pequeno e médio portes, em diferentes regiões de Goiânia, para verificar os preços praticados em 68 modalidades de medicações, sendo 34 de referência e 34 genéricos. Foram considerados os preços praticados para o cliente comum, não levando em consideração cadastros na rede, nem as condições especiais oferecidas a aposentados, empresas ou clientes conveniados de planos de saúde. Acompanhe a seguir as maiores variações encontradas pelo órgão.

Variação de preços
Os medicamentos genéricos sempre registram grande diferença de preços, pois há uma maior concorrência entre os diversos laboratórios. A maior variação entre o menor e maior preço entre os medicamentos genéricos pesquisados foi de 972,26% encontrada no Cloridrato de Ranitidina – 150 mg – 20 comprimidos. O menor preço encontrado foi de R$ 4,29 e o maior a R$ 46.

Já a variação de preço dos medicamentos de referência chega a 103,98%.  A maior diferença entre os medicamentos de referência e foi verificada no Citalor (Atorvastatina Cálcica) – 10 mg – 30 comprimidos, onde o menor preço encontrado foi de R$ 60,30 e o maior a R$ 123.

O Procon Goiás ressalta que pode ser mais interessante comprar um medicamento genérico por ser mais barato, desde que seja seguida a prescrição médica. Os medicamentos genéricos, inclusive produzidos pelo mesmo laboratório, podem apresentar preços diferentes de um estabelecimento para outro, inclusive da mesma rede de drogarias. Na comparação entre os preços médios dos dois tipos de medicamentos, foi constatado que os genéricos são 56,30% mais baratos.

Orientações gerais

Antes de uma criteriosa pesquisa de preços, o Procon Goiás orienta que o consumidor consulte a lista de Preços Máximos ao Consumidor (PMC) dos medicamentos, disponível no site da Anvisa. A consulta também pode ser efetuada nas listas de preços que devem estar disponíveis ao consumidor nas unidades do comércio varejista, ou seja, nas drogarias, conforme determina a Resolução da Cmed.

Mesmo drogarias da mesma rede não há, necessariamente, uma política de preços única entre elas. Portanto, é preciso fazer a pesquisa de preços mesmo em drogarias de mesma rede.

Na comparação entre preços de medicamentos de referência e genéricos, percebe-se que a diferença é muito grande. No caso dos genéricos, como são produzidos por diversos laboratórios, os medicamentos em geral são mais baratos, pois tem maior competitividade. Contudo, é bom frisar que um medicamento genérico fabricado pelo mesmo laboratório, também pode apresentar preços diferentes entre as drogarias. Por isso a pesquisa de preços é essencial, sempre aliada à recomendação e prescrição médica.