Política

Prisão de cinco investigados na Operação Decantação é mantida

Essa é a segunda fase da operação, deflagrada pela Polícia Federal (PF). A decisão é do juiz Rafael Slomb

Política

Murillo Soares
Do Mais Goiás | Em: 28/03/2019 às 18:52:55

O MPF-GO interpôs recurso contra a decisão da Justiça Federal, em Goiânia, que rejeitou denúncia contra 38 investigados por irregularidades na Saneago. (Foto: Bárbara Zaiden/Mais Goiás)
O MPF-GO interpôs recurso contra a decisão da Justiça Federal, em Goiânia, que rejeitou denúncia contra 38 investigados por irregularidades na Saneago. (Foto: Bárbara Zaiden/Mais Goiás)

O ex-chefe de gabinete de Marconi Perillo (PSDB), Luiz Alberto de Oliveira; a filha dele, Gisela Silva de Oliveira; o ex-diretor de gestão corporativa da Saneago, Robson Borges Salazar, e os sócios da Sanefer Construções e Empreendimentos, Carlos Eduardo Pereira da Costa e Nilvane Tomás de Sousa Costa foram levados para a Polícia Federal (PF) na tarde desta quinta-feira (28). Eles são investigados na Operação Decantação 2.

Eles saíram da 11° Vara da Justiça Federal sem algemas, diferente de quando chegaram para participar da audiência de custódia. Essa é a segunda fase da operação, deflagrada pela Polícia Federal (PF). A decisão é do juiz Rafael Slomb.

VEJA os presos da Operação Decantação 2:

Durante a audiência, houve desentendimento entre advogados de defesa e agentes da Polícia Federal (PF). Um advogado afirmou que um dos agentes teria dito a outro advogado “que ele deveria estudar”. A defesa ainda alegou que o presos estariam sendo tratados de forma incoerente com o tipo de caso, principalmente em relação ao uso de algemas.

Carlos e Nilvane já haviam sido presos na primeira fase. No carro de Luiz foram encontrados R$ 1 milhão e na casa da filha dele, R$ 800 mil e seis armas. Ao todo, foram cumpridos cinco mandados de prisão temporária e oito de busca e apreensão na manhã desta quinta-feira nos municípios de Goiânia e Aparecida de Goiânia. A operação ainda cita o ex-governador José Eliton (PSDB).