Primeiro-ministro do Reino Unido sugere que Bolsonaro se vacine contra Covid

Boris Johnson também defendeu a AstraZeneca

Primeiro-ministro do Reino Unido sugere que Bolsonaro se vacine contra Covid
Primeiro-ministro do Reino Unido sugere que Bolsonaro se vacine contra Covid (Foto: Alan Santos - PR)

Em trecho de conversa divulgado pela Reuters, o primeiro-ministro do Reino Unido, Boris Johnson, recomendou ao presidente Bolsonaro (sem partido) que se vacina contra a Covid-19. A fala ocorreu em Nova York, em encontro que antecede a Assembleia Geral da Organização das Nações Unidas (ONU), que começa na terça (21).

Johnson ainda disse que tomou as duas doses e da AstraZeneca e elogiou o imunizante. “Tomem AstraZeneca”, disse ele ao entrar para fazer registros do encontro.

Antes disso, quando perguntado se tomou a vacina, Bolsonaro disse que “ainda não”. Ele justificou que sua taxa de imunização está muito alta.

Mesmo sem comprovar vacinação, Bolsonaro pode entrar na sede da ONU, nos EUA

Mesmo sem vacina, Bolsonaro está liberado para ir à sede das Nações Unidas, nos EUA. Contudo, ele pode ter dificuldade para frequentar outros locais na cidade, que exigem passaporte – a ONU não precisa seguir determinações de autoridades locais.

Apesar de não exigir o comprovante, a ONU adota um sistema para que os participantes se comprometam a seguir todos os protocolos sanitários contra a Covid.

Viagem aos Estados Unidos para Assembleia Geral da ONU

presidente Jair Bolsonaro embarcou para Nova York, EUA, no domingo (19), para participar da 76ª Assembleia Geral da Onu, onde deve ficar até a próxima quarta (22). O vice-presidente Hamilton Mourão (PRTB) assume a cadeira no período.

Mourão assumiu a presidência, anteriormente, em setembro de 2019, quando Bolsonaro participou da 74ª Assembleia Geral da ONU. O evento deste ano está previsto para começar na terça.

A expectativa é que mais de 100 líderes se reúnam na assembleia, que terá modelo híbrido – virtual e presencial. No ano passado, o evento foi 100% remoto.