Prime Drink promete ser o jeito mais fácil de comprar bebidas

Utilizando geolocalização, o aplicativo localiza distribuidoras perto do usuário e oferece uma cartela de bebidas disponíveis. É só pedir e beber, garante CEO


Murillo Soares
Do Mais Goiás | Em: 15/12/2017 às 09:53:30

(Foto: Divulgação)
(Foto: Divulgação)

Entre no aplicativo. Peça sua bebida (alcoólica ou não). E beba. Estes são os três passos simples de uso do Prime Drink, um app que utiliza a geolocalização para facilitar a ponte entre as bebidas e o consumidor, segundo explica João Eduardo Santos, um dos CEOs do projeto que está funcionando em soft opening em Goiânia há dois meses.

“Além de Goiânia, também estamos em Florianópolis, Brasília, Barueri (interior de São Paulo) e indo para Assunção, no Paraguai”, conta ele. O Prime Drink, continua João, promete uma mudança cultural nas cidades em que se instala. “Hoje, as pessoas se deslocam, principalmente em altas horas da noite, para comprar bebidas. Queremos evitar que isso aconteça”, diz.

Em Goiânia, o aplicativo serve muito bem 38 bairros, de acordo com o CEO. “Nestes dois meses que estivemos na capital, tivemos um bom retorno e conseguir suprir a procura pelo serviço. Nosso objetivo agora é conquistar mais clientes com este novo tipo de serviço”, conta.

Este tipo de serviço já não existe?

Não. De acordo com João Eduardo Santos, a diferença entre o Prime Drink e os outros aplicativos de delivery de alimentos é que eles não trabalham com marcas. “Um estabelecimento A serve apenas o bairro X, enquanto o estabelecimento B abastece o bairro Y, e por aí vai”, explica ele.

Isso significa que: sempre o estabelecimento mais próximo da residência do usuário fará a entrega. “Não interessa o estabelecimento, interessa o produto”, sublinha ele. Além disso, a ideia diminui bastante o tempo de espera do pedido.

Buscando crescer ainda mais a plataforma, João Eduardo explica que a Prime Drink também é uma franquia. “Somos a primeira franquia de aplicativos e oferecemos para o franqueado a opção de compra por região do uso do aplicativo”, diz. Segundo João, vende-se o direito de uso da plataforma em uma determinada região. “Há um lucro de 15% do faturamento bruto”.

Na prática, um parceiro compra o direito de usar a Prime Drink em uma determinada região, fornecendo aos bairros as bebidas. Por fim, fica com uma porcentagem do que foi vendido através do aplicativo.

Como funciona?

Ao abrir o aplicativo, o usuário encontra uma tela simples de três opções: Pedido, Promoções e Sobre. Ao clicar no ícone de Pedido, é só completar o endereço (já parcialmente preenchido devido ao sistema de geolocalização do app) e escolher os produtos em uma grande cartela de bebidas.

Há cervejas, vinhos, espumantes, energéticos, licores, tequilas, lanchinhos de conveniência (como amendoins, balas e chocolates), tabacaria e equipamento para churrasco (carvão e gelo). Não é difícil adivinhar qual a preferência dos goianos: “cerveja, disparado”, sublinha João Eduardo.

Constante atualização e expansão

“O aplicativo está sempre em constante atualização, para uma melhor experiência dos usuários e desempenho da plataforma”, ressaltou João Eduardo. Isso mostra uma eterna busca para o melhorar o serviço.

Por exemplo, hoje, o aplicativo funciona até as 3h. Os planos, entretanto, são fazê-lo funcionar 24h por dia, principalmente no fim de semana, quando o movimento de pedidos aumenta bastante, segundo o CEO do Prime Drink. O interesse aumenta quando se fala das promoções recorrentes no cardápio do app.

Além disso, há a intenção de aumentar a variedade de ofertas do aplicativo. “Hoje, para a área de churrasco, oferecemos carvão e gelo. Mas queremos, em breve, oferecer carnes também”, explicou. A opção deve aparecer em uma das novas atualizações do Prime Drink.