Previdência estadual será conduzida de forma tranquila na Alego, sem correria

Matéria só pode tramitar na Assembleia Legislativa de Goiás após aprovação da reforma federal no Congresso


Francisco Costa
Do Mais Goiás | Em: 20/10/2019 às 16:47:23

(Foto: Marcos Kennedy/Alego)
(Foto: Marcos Kennedy/Alego)

Apesar de o governador Ronaldo Caiado (DEM) já ter dito que enviará a matéria da reforma da Previdência de Goiás à Assembleia Legislativa de Goiás (Alego), esta só poderá tramitar após a aprovação daquela que corre no Congresso. “É inconstitucional colocar em tramitação antes da aprovação da federal no Congresso”, explicou o presidente da Alego, Lissauer Vieira (PSB).

O deputado também já adiantou que, quando esta puder tramitar na Casa de Leis estadual, vai conduzi-la de forma tranquila, ouvindo todas as partes, categorias e população do Estado. “Goiás está sendo pioneiro em enfrentar a reforma da Previdência, como está sendo no Congresso.” Essa proposta de emenda à Constituição para os entes federativos é necessária, porque o texto original excluiu Estados e municípios.

Mas pelo tema ser polêmico, o texto não deve ser votado a toque de caixa. “Vou sugerir mais debates acerca da reforma, Temos opiniões divergentes [na Alego], muita divisão. O governo tem que atuar mostrando a importância. Que os contrários possam defender suas ideias e aqueles que são da base também vão ter oportunidade”, declarou o presidente da Assembleia.

Apesar do peso desta matéria, Lissauer está otimista. Segundo ele, atualmente o clima é mais ameno para este tema tão complexo. “Ninguém quer prejudicar ninguém. Todas as categorias merecem seus direitos, então vamos debater com muita calma, muita clareza e transparência.”

Acerca da reforma federal, que está no Senado, a expectativa é que seja apreciada e aprovada em segunda votação na próxima terça-feira (22). A matéria precisa de 49 votos favoráveis para passar. Já se passaram oito meses desde que o texto chegou ao Congresso.