Cidades

Presos suspeitos de integrar associação criminosa que fraudava leilões de gado, em Niquelândia

Eles utilizavam a identidade de outras pessoas e falsificavam documentos de propriedades rurais para conseguir arrematar os leilões


Da Redação

Do Mais Goiás | Em: 11/07/2019 às 18:52:51


(Foto: Divulgação/PM)
(Foto: Divulgação/PM)

A Polícia Militar (PM), por meio do Grupo de Patrulhamento Tático de Niquelândia (GPT), prendeu quatro homens suspeitos de integrar uma associação criminosa que fraudava leilões de gado. A ocorrência teve início na quarta-feira (10) e terminou nesta quinta-feira (11) com a prisão do grupo. Segundo a corporação, os criminosos arrematavam os gados por um leilão virtual e aplicavam golpe de estelionato nos vendedores.

A polícia chegou aos envolvidos por meio do Comando de Operações de Divisas (COD) da região norte. Alberto Dias Santos e Claudio Antônio foram os primeiros a serem encontrados e depois apontaram o envolvimento de outras duas pessoas no crime.

Na casa de Claudio os militares encontraram seis cartuchos calibre 20 e documentos de origem duvidosa, que apresentavam sinais de falsificação e eram usados para arrematar gado nelore P.O, no canal Terra Viva.

Segundo consta no boletim de ocorrência, os criminosos utilizavam a identidade de outras pessoas e falsificavam documentos de propriedades rurais com o objetivo de arrematar leilões. Os suspeitos pagavam a primeira parcela e retiravam os animais. As demais parcelas, no entanto, não eram pagas.

Em entrevista à polícia, Cláudio relatou que chefiava a associação criminosa com o empresário João Batista e Celino Correia. Uma manada de 20 cabeças de gado, que havia sido arrematada de forma ilegal no leilão, foi encontrada no povoado de Indaianópolis, em Niquelândia.

O gado e os envolvidos foram encaminhados para a Delegacia de Polícia Civil de Niquelândia. A PC vai abrir uma investigação.

 

(Foto: Divulgação/PM)