Do Mais Goiás

Presos suspeitos de espancar e carbonizar 4 pessoas em Goiânia e Trindade

O grupo era liderado de dentro do presídio de Goianira, por um detendo conhecido como Baiano

Presos suspeitos de espancar e carbonizar 4 pessoas em Goiânia e Trindade
O grupo, chamado de Tropa do Baiano, agia de forma ‘extremamente cruel e covarde’ (Foto: Reprodução/PC)

A Polícia Civil prendeu, nesta terça-feira (27), oito pessoas suspeitas de envolvimento em quatro homicídios diferentes, ocorridos entre outubro de 2020 e março de 2021. Três das vítimas foram encontradas carbonizadas nas cidades de Goiânia e Trindade.

De acordo com os investigadores, o grupo era liderado de dentro do presídio de Goianira supostamente pelo preso José Roberto Marcelino de Oliveira, conhecido como Baiano. As suspeitas são de que ele tivesse o apoio de sua esposa, Eliene de Lima Noto, e também de João Bezerra de Oliveira, apelidado de Baixinho. Além de outras três pessoas.

As imagens e identidades dos investigados foram divulgados com autorização da Polícia Civil, conforme a lei n.º 13.869, a fim de tentarem identificar possíveis outros crimes praticados pelos suspeitos, além do surgimento de novas testemunhas e elementos informativos.

O grupo, chamado de Tropa do Baiano, agia de forma ‘extremamente cruel e covarde’, segundo a polícia. Isso porque, as vítimas eram atraídas para a residência de um dos investigados e agredidas brutalmente com golpes de faca e marreta até a morte. Em seguida, corpos eram desovados locais distantes, onde eram carbonizados.

As motivações de todos os assassinatos, ainda segundo a investigação, estão relacionadas com as atividades criminosas do grupo, como o tráfico de drogas nos bairros Orlando de Moraes e Residencial Antônio Carlos Pires, na capital.

Quando algum morador do bairro em que eles viviam os contrariava de alguma maneira, eram aterrorizados pelos suspeitos, como afirma a corporação.

Durante a operação, foram apreendidas duas armas de fogo, dinheiro e uma quantidade considerável de drogas, entre maconha, crack e cocaína.

Aguarde mais informações.