Presos suspeitos de 30 assassinatos praticados no ano passado em Goiânia

Segundo a polícia, ordem para os crimes, que teriam sido motivados pelo tráfico de drogas, partiram de dentro do sistema prisional


Thais Lobo
Do Mais Goiás | Em: 29/05/2019 às 15:52:52

Foto: PCGO/Divulgação
Foto: PCGO/Divulgação

Onze pessoas, entre elas uma mulher, foram presas nesta quarta-feira (28) pela Delegacia Estadual de Investigações de Homicídios (DIH), suspeitas de envolvimento em pelo menos 30 assassinatos ocorridos no ano passado em Goiânia. De acordo com as investigações, a ordem para as execuções, que teriam sido motivadas pelo tráfico de drogas, partiram de criminosos que já estavam presos no Complexo Prisional de Aparecida de Goiânia.

Nove dos 11 suspeitos que tiveram as prisões preventivas decretadas e foram apresentados à imprensa hoje, já cumprem pena ou aguardam julgamento em presídios de Aparecida de Goiânia. Os assassinatos a eles imputados, segundo o delegado Ernane Cazer, adjunto da DIH, foram cometidos em setores da região Oeste de Goiânia, principalmente nos Bairros Serra Azul, Parque Oeste Industrial e Residencial Goiânia Viva.

“Primeiro nós identificamos e prendemos alguns executores, e a partir daí, com depoimentos e provas, chegamos aos mandantes, que já estavam presos. Nós sabemos que o pessoal que comanda o sistema prisional tem feito um esforço imenso, mas ainda assim fica difícil impedir que estas ordens saiam de dentro da cadeia, já que, mesmo presos, criminosos tem direito a visitas”, relatou Ernane Cazer.

Os assassinatos, ainda segundo o delegado, teriam como motivação a disputa por pontos de vendas de drogas. Ele disse também que todos os 11 indiciados são ligados a uma facção criminosa carioca, e vivem em guerra permanente com criminosos de outra facção.

A mulher apresentada entre os suspeitos, de acordo com as investigações, teria atraído uma das 30 pessoas assassinadas no ano passado para que seu namorado, que agora está preso, o executasse. Durante o cumprimento dos mandados de prisão dos três suspeitos que ainda estavam em liberdade, a polícia apreendeu uma arma de fogo. Os 11 suspeitos foram indiciados por homicídio e associação criminosa.