Violência

Preso suspeito de raptar e abusar sexualmente de criança de 5 anos em Anápolis

A criança reconheceu o suspeito. A prisão aconteceu na tarde deste sábado quando o suspeito chegava em casa





//

A Polícia Militar (PM) prendeu o homem suspeito de raptar e abusar sexualmente de uma garotinha de 5 anos em Anápolis, a 55 quilômetros de Goiânia. A prisão aconteceu na tarde deste sábado (11/07).

A polícia chegou até o suspeito após a criança passar informações sobre o carro e o local para onde ela foi levada.

Com informações em mãos, os militares ficaram esperando o suspeito nas proximidades de sua residência e assim que ele apareceu – conduzindo um VW Gol branco, usado no crime, – deram voz de prisão.

Segundo informações da Polícia Militar (PM), o homem ainda tentou fugir, correndo para os fundos da residência, mas acabou preso.

Antes de levarem o suspeito para a delegacia, os militares fizeram algumas fotos e enviaram para criança fazer o reconhecimento. A garota fez o reconhecimento e afirmou aos policiais que ele seria o homem que a raptou.

O homem, que foi identificado como Benedito Moreira da Abadia, de 56 anos, foi encaminhado para o  1º Distrito Policial de Anápolis onde foi autuado pelo crime de estupro de vulnerável.

O CASO

A garota de 5 anos foi localizada na manhã deste sábado (11/07) em um posto de combustíveis às margens da BR-060. A criança, que estava passando as férias em Anápolis, desapareceu no início da noite desta sexta-feira quando brincava em um pula-pula em uma feira da cidade.

Segundo relatos da criança para sua mãe, ela estava brincando no pula-pula, quando um homem chegou e disse que a levaria para brincar em outro brinquendo. Só que o homem colocou a criança no carro e a levou embora.

“O homem levou ela para uma casa. E antes dele chegar na casa, ele havia ameaçado: se ela gritasse, ele a mataria”, disse a mãe, em entrevista ao Jornal Anhanguera.

A criança ainda contou para a mãe que o homem havia lhe deixado próximo ao posto de combustíveis que fica às margens da BR-060. Por causa da repercussão, os funcionários do posto identificaram a criança e imediatamente ligaram para a polícia.

Logo pela manhã, a criança foi encaminhada para o Instituto Médico Legal (IML) onde passou por exames médicos. Os exames comprovaram que ela sofreu abuso sexual.