Do Mais Goiás

Preso suspeito de oferecer carona para estuprar e tentar matar mulheres em Inhumas

Duas vítimas já foram identificadas, mas a Polícia acredita que outras ainda podem aparecer

Preso homem que oferecia carona, estuprava e tentava matar mulheres, em Inhumas
Preso homem que oferecia carona, estuprava e tentava matar mulheres, em Inhumas (Foto: Divulgação/PC)

A Polícia Civil prendeu temporariamente, na manhã desta segunda-feira (3), um homem suspeito de estuprar e tentar matar ao menos duas mulheres em Inhumas. O caso mais recente ocorreu no Bairro Vila São José, naquele município. O suspeito teria oferecido carona para atrair as vítimas.

De acordo com a investigação, o homem abordou a mulher no bairro Vila São José e lhe ofereceu carona até a residência de sua mãe. Entretanto, no meio do caminho o suspeito mudou o trajeto e seguiu para uma estrada de chão, nas margens da rodovia GO-070.

Estranhando a atitude, a vítima questionou o homem, mas foi ameaçada em seguida com uma arma de fogo, momento em que o suspeito lhe mandou ficar quieta. Segundo os investigadores, após as ameaças violentas, o homem teria obrigado a mulher a ter relações sexuais com ele dentro do carro.

Momentos depois, a vítima relatou aos policiais que o investigado a arrastou para fora do veículo e no momento em que ele saiu para pegar a arma, a mulher saiu correndo para dentro de um matagal.

“Mesmo estando bastante debilitada após a violência sofrida, esse homem ainda efetuou dois disparos na direção da mulher. Mas, ela conseguiu fugir e nos procurou”, informou a Polícia Civil.

Outras vítimas

De acordo com a Polícia Civil, durante a investigação, uma segunda mulher foi identificada. Contudo, há suspeitas de que existam mais vítimas que ainda não o denunciaram na Delegacia de Inhumas por medo.

As duas mulheres já identificadas, realizaram o reconhecimento fotográfico do homem, que ajudou na sua prisão temporária. Na manhã de segunda-feira, as vítimas o reconheceram de imediato novamente, mas de maneira pessoal.

O homem já tinha um registro de prisão por estupro, segundo a PC.