Do Mais Goiás

Preso suspeito de abuso sexual contra mais de 10 funcionárias em Piracanjuba

Vítimas são funcionárias e ex-funcionárias do suspeito. Crimes aconteciam no próprio estabelecimento do suposto autor

Um homem foi preso suspeito de abuso sexual contra mais de 10 funcionárias em Piracanjuba. Crimes aconteciam no próprio estabelecimento do suposto autor . (Foto: Divulgação/PC)
Um homem foi preso suspeito de abuso sexual contra mais de 10 funcionárias em Piracanjuba. Crimes aconteciam no próprio estabelecimento do suposto autor . (Foto: Divulgação/PC)

Um homem foi preso, na tarde desta terça-feira (5), por tentativa de estupro, importunação e assédio sexual em Piracanjuba. O comerciante R.A.A, de 36 anos, é suspeito de praticar os crimes contra mais de 10 funcionárias que trabalhavam no estabelecimento do suposto autor. Mulheres entre 16 e 25 anos estão entre as vítimas. Foram dois meses de investigação, segundo a Polícia Civil.

Conforme expõe o delegado responsável pelo caso, Leylton Barros, as investigações tiveram início após denúncias anônimas. Durante a apuração, a Polícia constatou que o suspeito utilizava a condição hierárquica na empresa para praticar abusos sexuais contra as funcionárias.

Até o momento já foram ouvidas mais de 10 mulheres, entre funcionárias e ex-funcionárias. Todas elas afirmam terem sido vítimas de abusos e importunações sexuais, as quais ocorriam no próprio estabelecimento comercial.

Segundo Leylton, as vítimas tinham medo de denunciar o empresário, pois temiam perder o emprego. As mulheres tinham medo ainda de serem prejudicadas na cidade em razão da condição financeira privilegiada do suspeito.

A Polícia Civil (PC) estima que o número total de mulheres que sofreram abusos possa chegar a mais de vinte. Todas as possíveis vítimas já foram identificadas e serão ouvidas nos próximos dias.

Durante o cumprimento do mandado de prisão temporária do empresário, nesta terça-feira (5), foram apreendidos diversos equipamentos eletrônicos que estavam na empresa do investigado. Os equipamentos passarão por perícia a fim de descobrir elementos relacionados aos crimes sob investigação.

O comerciante foi autuado e encaminhado à Unidade Prisional de Piracanjuba. Caso seja condenado, poderá pegar pena de até sete anos para cada crime cometido.