Motivo fútil

Preso no Paraná suspeito de matar homem que lhe passou mão nas nádegas em Goiânia

David Palheta, que estava com documentos falsos, já tem condenação por outro homicídio ocorrido em 2010, no Pará


Hugo Oliveira
Do Mais Goiás | Em: 18/11/2019 às 12:49:42

Detido já tem uma condenação por homicídio. No Pará, ele matou um mototaxista que presenciou o momento em que ele atropelou outra pessoa e fugia sem prestar socorro (Foto: divulgação/PC)
Detido já tem uma condenação por homicídio. No Pará, ele matou um mototaxista que presenciou o momento em que ele atropelou outra pessoa e fugia sem prestar socorro (Foto: divulgação/PC)

Agentes da Delegacia Estadual de Investigações de Homicídios (DIH) localizaram e prenderam, em Curitiba, no Paraná, David Palheta Pinheiros. Ele é suspeito de ter assassinado, em sete de julho passado, em Goiânia, Wallace Mendes dos Anjos. Segundo apurou a equipe da DIH, Wallace foi morto depois que, durante uma brincadeira, passou as mãos nas nádegas de David, que estava no mesmo bar que ele, no Bairro Goiá. Na época do crime, testemunhas contaram que ao perceber que David Palhares não teria gostado da brincadeira, Wallace pediu desculpas.

“Mesmo após ele se desculpar, o David foi no carro, pegou uma pistola, e disparou no peito do Wallace, fugindo em seguida”, relatou o delegado Ernane Cazer, adjunto da DIH, e responsável pelas investigações. Ao ser abordado em Curitiba, Davi estava com duas identidades que tinham a foto dele, mas com nomes diferentes. Isso porque, ainda segundo o delegado, David já era foragido da Justiça do Pará, onde foi condenado a 21 anos de cadeia após matar, também com tiros, um mototaxista de 23 anos, na cidade de Belém.

Suspeito foi apresentado na manhã desta segunda (18), em Goiânia (Foto: divulgação/PC)

Suspeito foi apresentado na manhã desta segunda (18), em Goiânia (Foto: divulgação/PC)

“Assim como fez em Goiânia, lá no Pará o David também executou uma pessoa que ele sequer conhecida simplesmente pelo fato da vítima ter presenciado ele atropelar uma pessoa e depois abordá-lo, falando que ele precisava prestar apoio à ela”, concluiu o adjunto da DIH.
Em Goiás, David responderá por homicídio qualificado, e, se condenado, pode passar de 12, até 30 anos em reclusão.

Veja vídeo da prisão em Curitiba: