Procurado

Preso no Crimeia Oeste piloto foragido da PF por tráfico internacional de drogas

Rotam chegou até ele por meio de uma denúncia anônima. Ele é considerado fugitivo desde a deflagração da Operação Flak, que apreendeu 47 aviões utilizados para o transporte de cocaína


Hugo Oliveira
Do Mais Goiás | Em: 28/02/2019 às 12:59:54

Segundo tenente, ele não ofereceu resistência à prisão (Foto: divulgação/Rotam)
Segundo tenente, ele não ofereceu resistência à prisão (Foto: divulgação/Rotam)

Agentes da Rotam prenderam na noite de quarta-feira (27) um foragido da Justiça Federal procurado por integrar uma quadrilha especializada no tráfico internacional de Drogas. Os policiais chegaram até Nivaldo da Conceição Level, 29, depois de uma denúncia anônima. A prisão ocorreu em um posto de combustíveis do setor Crimeia-Oeste, em Goiânia.

Segundo as autoridades, o detido é piloto de avião e transportava narcóticos para outros países. De acordo com o tenente Daniel Resende, da Rotam, Nivaldo integra uma organização criminosa desmantelada no último 21/2 pela Polícia Federal (PF), com a deflagração da Operação Flak. Na oportunidade foram apreendidas 47 aeronaves, as quais eram conduzidas por uma equipe de 26 pilotos. Um submarino pertencente à organização foi apreendido no Suriname.

Aviões apreendidos na operação da PF (Foto: divulgação/PF)

“Verificamos que ele tinha um mandado de prisão em aberto, emitido pela Justiça Federal do Tocantins. Ele é piloto e transportava narcóticos em aeronaves das quadrilhas para outros países”, sublinha. Entre 2017 e 2018, segundo os investigadores, a quadrilha transportou cerca de 9 toneladas de cocaína da Venezuela, Colômbia e Bolívia para o Brasil, Estados Unidos e Europa.

Para Resende, o suspeito estava em Goiás para evitar ser preso no Tocantis. “Acreditamos que ele tenham vindo para se misturar. Inclusive deixou a barba crescer, para ficar diferente, mas conseguimos identificá-lo e encaminhá-lo à Superintendência da Polícia Federal. Segundo informações da Rotam, o mandado de prisão não constava no Banco Nacional de Mandados de Prisão e nem no sistema Multi Portal de Segurança Pública.

Diagrama da PF aponta Nivaldo como um dos 26 pilotos (Foto: divulgação/Rotam)

Goiano

Cristiane é apontado pela PF de compôr a organização criminosa (Foto: reprodução/Instagram)

A PF também investiga o envolvimento do piloto goiano Cristiano Felipe Rocha Reis, morto depois de um acidente aéreo no Pará, com a organização criminosa. Durante a Flak, agentes prenderam João Soares, responsável pela frota e que seria tio do falecido.