Tentativa de Feminicídio

Preso motorista de aplicativo que simulou assalto após tentar matar passageira

Agredida com socos, pontapés, e com um macaco usado para troca pneus, vítima foi deixada abandonada seminua em uma mata perto de Abadia de Goiás


Murillo Soares
Do Mais Goiás | Em: 15/02/2019 às 15:36:07

(Foto: Divulgação/PC)
(Foto: Divulgação/PC)

De suposta vítima de roubo, o motorista de aplicativo Silomar Santos do Lago, de 28 anos virou réu, e agora está preso suspeito de tentar matar com socos, chutes, e até com um macaco usado para trocar pneus de veículos, Ana Júlia Costa Pereira Pouso Alto, de 20 anos. Após ser agredida, a jovem foi abandonada seminua em uma mata na entrada da cidade de Abadia de Goiás.

A versão apresentada ainda na madrugada do último dia nove de janeiro por Silomar Santos nunca convenceu a polícia. Em depoimento, ele alegou que durante uma corrida foi assaltado por dois homens e uma mulher, e que no meio do caminho os criminosos teriam brigado com a garota e a agredido, ocasião em que ele teria trocado socos com um dos bandidos, e conseguido fugir.

(Divulgação/Polícia Civil)

Internada durante 10 dias no Hugo, com vários ferimentos pelo corpo e cortes no rosto, Ana Júlia só conseguiu contar o que de fato havia acontecido para a Polícia Civil três dias depois. “Ela disse que fez uma corrida fora do aplicativo com o Silomar, que já a teria atendido outras vezes, e que, em um lugar isolado e escuro, ele alegou que o carro estava estragado, e quando ela desceu para ajudá-lo, foi agredida com socos, ocasião em que caiu, e não se lembra de mais nada”, descreveu o delegado Arthur Fleury, titular da Delegacia de Guapó.

A versão apresentada pela garota foi confirmada pelo próprio motorista de aplicativo, que, em um vídeo gravado pela Polícia Civil, descreveu as agressões, que teriam, segundo ele, sido motivadas por uma dívida referente há pelo menos 10 corridas não pagas. “Ele alega que ela lhe devia algo em torno de R$ 350, e fala que perdeu a cabeça quando cobrou, e a Ana Júlia teria dito que lhe pagaria depois, mas isso tudo precisa ser investigado, até porque a vítima garante que nunca ficou devendo um centavo sequer para ele, já que as corridas, segundo nos contou, eram pagas sempre em dinheiro vivo”, pontuou Fleury.

ASSISTA à confissão de Silomar:

A princípio, Silomar será indiciado por tentativa de feminicídio, e comunicação falsa de crime, mas a polícia vai investigar, também, se ele teria estuprado a vítima, que quando foi encontrada, estava sem partes de sua roupa. Ameaçada mesmo após a tentativa de assassinato, Ana Júlia se mudou para a casa de parentes no Rio Grande do Sul. Em um vídeo, onde relata o que se lembra daquela madrugada, ela aparece com várias cicatrizes no rosto, que continua bastante inchado.

ASSISTA ao depoimento de Ana Júlia sobre a agressão de Silomar: