Polícia Civil

Preso integrante de quadrilha que desviou R$ 570 mil de empresa de grãos em Itumbiara

Ilton Gonçalves de Oliveira, de 43 anos, foi preso naquele mesmo município e é cunhado de Douglas Lima Frandoloso, apontado como chefe do grupo que praticava as fraudes

Cidades

Thiago Burigato
Do Mais Goiás | Em: 21/03/2017 às 10:03:44

Ilton foi destinatário de pelo menos R$ 142 mil dos mais de R$ 570 mil do total contabilizado nos autos de investigação (Foto: PC)
Ilton foi destinatário de pelo menos R$ 142 mil dos mais de R$ 570 mil do total contabilizado nos autos de investigação (Foto: PC)

Um homem foi preso nesta segunda-feira (20) por suspeita de envolvimento em um esquema de estelionato e associação criminosa que resultou no desvio de mais de R$ 500 mil da empresa de armazéns de grãos Granol, de Itumbiara. Ilton Gonçalves de Oliveira, de 43 anos, foi preso naquele mesmo município e é cunhado de Douglas Lima Frandoloso, apontado como chefe do grupo que praticava as fraudes.

O esquema consistia na realização de falsas operações de descarga de grãos, que não existiam. Os envolvidos se apresentavam para a empresa como donos dos supostos grãos, que ficariam depositados no armazém. Porém, mesmo sem receber de fato o produto, a empresa vítima fazia depósitos bancários na conta dos acusados.

De acordo com as investigações, o esquema envolvia ainda dois supostos produtores de grãos, que se apresentavam como donos das cargas que nunca existiram: Joaquim Jacinto Rosa Neto e José Carlos de Paula. Os membros do grupo recebiam diretamente da empresa vítima os pagamentos indevidos que eram, depois de descontada uma parte, repassados a outros familiares do líder do esquema criminoso: Darcizio Antônio de Lima Frandoloso e Patrícia Gonçalves de Oliveira Frandoloso, respectivamente pai e esposa do articulador do esquema.

Douglas foi preso em março do ano passado. Ele era funcionário da empresa e havia se mudado para Água Boa (MT), onde foi preso, pouco depois de ser demitido. Outros dois envolvidos foram conduzidos coercitivamente naquela ocasião. Um deles era corretor de grãos e o outro um produtor rural.

Conforme o delegado Vinicius de Castro Penna, da 2ª Delegacia de polícia (DDP), os atos ilícitos ocorreram entre março e abril de 2015. “No final daquele ano o pessoal da empresa fez a denúncia. Eles tinham reparado um desfalque de mais de meio milhão. Ao fazerem uma auditoria interna, constataram que algumas operações de descarga tinham gerado o prejuízo”, informou.

Ilton foi destinatário de pelo menos R$ 142 mil dos mais de R$ 570 mil do total contabilizado nos autos de investigação. Preso e interrogado, ele foi encaminhado ao Presídio Regional de Itumbiara, onde fica à disposição do Poder Judiciário.