Investigações

Preso aposentado acusado de matar o neto

De acordo com a polícia, Sebastião Vitorino contou com a colaboração de um outro neto, que era primo da vítima, para executar o crime





//

Ocorrido em 24 de agosto de 2013, o assassinato da comerciante Maria Francisca Ferreira, de 66 anos, desencadeou uma guerra em família que deixou o saldo de uma pessoa morta e duas baleadas.

O mandante dos crimes, segundo apurou a polícia, seria o taxista aposentado Sebastião Pereira Vitorino, de 74 anos, que era esposo de Maria, e que está preso junto com o neto Henrique Rodrigues, de 23 anos, e com Artur Borges Lopes, de 18 anos.

De acordo com o que apurou o Delegado Valdemir Pereira, adjunto da Delegacia de Investigações de Homicídios, logo após o assassinato da esposa, Sebastião Pereira teria investigado o crime por conta própria e atribuiu a morte à sua nora Valdivina Rodrigues Mota Santos, de 41 anos, ao filho dela Huasley Rodrigues Borges, de 18 anos, e ao namorado dela Flávio Daniel de Oliveira Rocha, de 30 anos.

Para vingar o crime, ele convidou o neto Henrique Rodrigues para matar Huasley Rodrigues Borges, que desapareceu em 30 de agosto do ano passado. As investigações mostram que Sebastião, Henrique e um outro homem já identificado mas que ainda não foi preso mataram Huasley a tiros e enterraram o corpo dele em uma mata perto da cidade de Iporá.

Em 12 de outubro deste ano, o aposentado também ordenou que Henrique e Artur Borges matassem sua nora Valdivina Rodrigues, que é mae de Huasley, e a irmã dela Cristina Mota Rodrigues, de 35 anos. Mesmo ferida com um tiro na nuca e outro na barriga, Valdivina sobreviveu, o mesmo ocorrendo com sua irmã Cristina, que foi baleada na mão.

Preso, Henrique confessou participação nos crimes, cometidos segundo ele a mando do avô, e levou os policiais até a mata onde havia enterrado o corpo de Huasley. Artur Borges, que não participou da morte de Huasley, confessou ter sido quem atirou nas irmãs. Durante apresentação à imprensa, Sebastião Pereira negou os crimes, mas afirmou que continua querendo saber quem matou sua esposa, e garantiu que quando descobrir vai vingar a morte.

“São pessoas extremamente perigosas e frias, tanto que no momento em que prendemos Henrique e Artur em Santa Helena descobrimos que eles estavam naquela cidade para roubar uma Saveiro que seria usada em uma outra execução em Iporá. Ainda não sabemos quem seria essa vítima mas vamos descobrir”, relatou Valdemir Pereira, que afirmou irá solicitar junto ao Poder Judiciário a transformação da Prisão Temporária dos acusados em Preventiva.