Presidente municipal do MDB diz que Iris será candidato em 2020, mas prefeito fala em aposentadoria

O prefeito afirma que a candidatura ao quarto mandato, que exerce agora, teria sido para reparar o erro da renúncia anterior


Bárbara Zaiden
Do Mais Goiás | Em: 16/05/2019 às 16:52:04

(Foto: divulgação/Paço Municipal)
(Foto: divulgação/Paço Municipal)

O presidente municipal do Movimento Democrático Brasileiro (MDB) em Goiânia, Carlos Júnior, disse ao Mais Goiás que Íris Rezende será o candidato pelo partido à Prefeitura da capital nas eleições de 2020. Contudo, na manhã desta sexta-feira (16), em entrevista à Rádio Sagres 730, o atual prefeito da capital disse que vai se aposentar após o fim do mandato.

“O MDB não trabalha com plano B, C e nem D. O candidato do MDB chama Iris Rezende. Nós vamos até o final insistir para que o prefeito seja o nosso candidato, porque ele tem saúde, disposição e credibilidade. ”, disse Carlos à nossa equipe de reportagem.

Contudo, aos 85 anos de idade, Iris não parece concordar com o presidente. “Não sou [candidato], não. Eu fui eleito por quatro anos, estou cumprindo meu mandato. Eu fui claro desde o primeiro dia: só estou me candidatando para consertar, salvar a Prefeitura”, afirmou nesta manhã.

O emedebista relembrou as eleições de 2014, quando perdeu a disputa para o Governo Estadual. Iris havia sido eleito prefeito em 2008 mas, para se candidatar, em 2010 renunciou ao cargo de chefe do executivo municipal. Ele ainda afirma que a candidatura ao quarto mandato, que exerce agora, teria sido para reparar o erro da renúncia. “Eu vim com o sentimento de culpa de haver renunciado. Vou deixar a Prefeitura zerada, sem dívida”.

O presidente do partido endossa a fala do prefeito e diz que Goiânia é uma das poucas prefeituras do Brasil que estão com a folha de pagamento em dia e sem déficit orçamentário. E ainda fez uma comparação com o Estado de Goiás. “Eu quero que o Caiado resolva o problema do estado em dois anos, igual o prefeito Iris resolveu o de Goiânia em dois anos e está resolvendo”, declarou Carlos. Segundo ele, a partir de junho, “Goiânia vai virar um canteiro de obras”.

César Junior ainda explica que, para as próximas eleições, o MDB tem dialogado tanto com partidos de esquerda quanto de direita. E que o momento é de buscar pessoas que queiram caminhar ao lado do MDB na próxima disputa, o que seria o caso de vários vereadores, que avaliam a possibilidade de migrar para a legenda.

Sobre a plataforma de campanha para 2020, o presidente municipal disse que o partido terá uma chapa com 53 candidatos e quer eleger oito deles, pelo menos. “A bandeira do MDB é fazer Goiânia uma cidade melhor ainda”, se limitou a dizer.

Reputação inquebrável

No último dia 4, o Ministério Público Federal (MPF) impetrou ação de improbidade administrativa impetrada contra o prefeito de Goiânia e o secretário municipal de Educação, Marcelo Ferreira da Costa.

Além disso, o ex-vereador e atual deputado estadual, Alysson Lima (PRB), foi ao plenário da Câmara Municipal de Goiânia para apresentar processo de pedido de impeachment do prefeito Iris Rezende. Contudo, ele foi impedido de falar.

Sobre os dois assuntos, o presidente afirma que são tentativas de manchar a reputação do prefeito. “Dentro de meses tudo isso aí vai estar resolvido”. Nem a prisão do ex-presidente Michel Temer (MDB) seria um problema para a popularidade da legenda em Goiás. “O goianiense e o goiano sabe diferenciar bastante o MDB nacional do MDB goiano”, finaliza Carlos Júnior.