Aulus Rincon
Do Mais Goiás

Presas suspeitas de integrar quadrilha que aplica “golpe do falso intermediário”

Criminosos que colocam fotos e anunciam veículos de terceiros que estão à venda como se fossem deles na internet fizeram pelo menos duas vítimas em Goiás. Uma delas perdeu quase R$ 70 mil.

Polícia conduz uma das suspeitas à delegacia (Foto: Polícia Civil)
Polícia conduz uma das suspeitas à delegacia (Foto: Polícia Civil)

Duas mulheres suspeitas de integrar uma quadrilha que aplica o “golpe do falso intermediário” foram presas pela Polícia Civil esta semana em Goiás. As investigações mostram que o grupo criminoso, que atua em redes sociais, fez pelo menos duas vítimas em Goiás nos últimos seis meses, sendo que uma delas perdeu quase R$ 70 mil.

Segundo o delegado Cássio Arantes, chefe do Grupo de Repressão a Estelionato e Outras Fraudes (GREF), da Deic, tudo começa quando golpistas, se passando por compradores, procuram pessoas que colocam veículos à venda pela Internet, e se mostram interessados em adquirir o carro. Depois de pedirem fotos ao verdadeiro vendedor, os criminosos anunciam o veículo, como se fosse deles, por um preço mais baixo.

“Quando encontram um interessado na compra, eles falam que estão vendendo mais barato porque o verdadeiro dono do carro tem uma dívida a ser paga. Nossa recomendação é para que a pessoa, primeiro desconfie de preços baixos, e jamais façam qualquer tipo de depósito ou transferência sem antes ver o carro pessoalmente, e conferir os documentos”, alertou Cássio Arantes.

As duas mulheres presas, segundo o delegado, teriam emprestado suas contas bancárias para a transferência dos valores obtidos com o golpe. “Uma recebe determinada quantia, repassa para outra, que então entrega o valor para os chefes do esquema. Eles pagam comissão para quem empresta as contas porque assim fica mais difícil da polícia chegar até o verdadeiro mentor do golpe”, concluiu o delegado.

Até agora, pelo menos duas vítimas já procuraram a Deic para denunciar a quadrilha. Uma delas, que mora no interior, contou ter transferido R$ 67.500,00 para o suposto vendedor.

Além das duas mulheres que foram presas, a equipe do GREF da Deic já identificou outro suspeito de integrar a quadrilha, que seria um dos líderes do esquema, e que atualmente mora no nordeste. Ele deve ter sua prisão solicitada nos próximos dias. Os nomes e idades das duas mulheres presas não foram divulgados.